Posts recentes de Capa

Aviões, Márcia Fellipe e Fulô de Mandacaru se apresentam no aniversário de Igarassu

Xand Avião e Fulô de Mandacaru estão entre as atrações – Crédito: Divulgação

A cidade de Igarassu completa 482 anos, e em comemoração ao seu aniversário e aos padroeiros santos Cosme e Damião, muita festa vai acontecer. Do dia 25 ao dia 30 de setembro, o projeto Igarassu em Festa, um mês inteiro de atividades, traz atrações de peso ao município. Nomes como Aviões, Márcia Fellipe, Xande Pilares, Pablo, Fulô de Mandacaru, Solteirões do Forró, Limão com Mel, Faringes da Paixão e mais 10 bandas entre locais e de porte nacional farão a animação de toda população e visitantes.

Os shows serão gratuitos, acontecendo a partir das 20h, no Palco Central, localizado no Sítio Histórico de Igarassu. Confira a programação completa:

25/09
Márcia Fellipe
Solteirões
Xinelo de Tonhe

26/09
Aviões
Messinho Marra
elly e Flávia

27/09
Limão com Mel
Edu e Marial
Skema Som

28/09
Fulô de Mandacaru
Vanessa Rios
Jair Miranda

29/09
Pablo
Faringes da Paixão
Ynove

30/09
Xande de Pilares
É Massa
Roberto Magno

Shonda Rimes cria plataforma de lifestyle

Shonda Rhimes tem um novo projeto em andamento: um site de lifestyle. Shondaland é o nome do site da autora, o mesmo da produtora da americana. Grey’s Anatomy, Scandal e How To Get Away With Murder são séries pelas quais ela é responsável. A plataforma vai abordar conteúdos de moda, família, beleza e uma seção de inspiração.

Shonda Rimes – Crédito: Divulgação

Em tempo, a própria Shonda já assina alguns dos artigos. O site faz parte da publisher Hearst Magazines, detentora de revistas como a Cosmopolitan, a Harper’s Bazaar ou a Elle; e vai ter contribuição da Dove.

Integrantes da banda Rouge se apresentam juntas novamente

Rouge comemora 15 anos de história – Crédito: Divulgação

A girl band Rouge se reencontra em evento no Rio de Janeiro, no Chá Rouge. As integrantes do grupo se reúnem novamente para realizar um show nostálgico e cheio de Ragatanga, em comemoração aos 15 anos da banda. Acontecerá no dia 13 de outubro, na Vivo Rio, a partir das 23h. Os ingressos podem ser encontrados no site Eventim, a partir de R$ 100. As meninas que fizeram sucesso nos anos 2000 conquistaram o público com seus hits Ragatanga, Um Anjo Veio Me Falar e Nunca Deixe de Sonhar. 

Mônica Ayub lança livro sobre moda no RioMar

A jornalista Mônica Ayub lança seu novo livro Estilo & Atitude, pela Editora Labrador (SP). No dia 4 de outubro, das 19h às 21h30, a especialista em moda promove uma noite de autógrafos na Livraria Cultura Shopping RioMar. A peça conta com 232 páginas, e chega às livrarias e aborda a moda em diversos períodos desde a era vitoriana (século XIX) até os dias atuais.

Mônica Ayub – Crédito: Divulgação

“É uma obra para auxiliar quem quer ter estilo e segurança ao vestir qualquer que seja o look. Exatamente por isso, os capítulos se fecham em si mesmos, facilitando a leitura”, explica Mônica Ayub. “Se você quiser ir direto aos anos 50, sem problemas. Você perceberá que a década começa e termina no mesmo capítulo”, completa.

Em tempo, o livro é um manual de como ler a moda do cotidiano que busca entreter sob o ponto de vista de um mundo completamente inserido na economia global. As vendas já estão disponíveis na versão impressa nos sites da Livraria Cultura, Amazon e na Saraiva. Também está disponível em formato digital nas plataformas de vendas do Google Livros, iBooks, Kobo, Amazon, Cultura e Saraiva.

Maciel Salú apresenta show inédito em São Paulo

Maciel Salú leva o seu espetáculo para São Paulo. O cantor, compositor e rabequeiro se apresentará no dia 24 de setembro, a partir das 19h30, na Nossacasa Confraria das Ideias. O show faz parte da sua turnê nacional e tem entrada gratuita.

Maciel Salú – Crédito: Rayssa Cariri

O músico ainda vai circular por Curitiba-PR, João Pessoa-PB, Natal-RN, Salvador-BA, Olinda-PE, Tracunhaém-PE e Recife-PE. A primeira apresentação da turnê aconteceu em Brasília, no último dia 29 de abril. O álbum Baile de Rabeca será levado para um total de nove cidades, até o fim de 2017. Ele performará canções dos seus três primeiros discos e novas composições que farão parte do seu próximo álbum.

A circulação também vai contar com a vivência A arte transforma – Maciel Salú, sua rabeca e trajetória dos terreiros para o mundo, onde o cantor vai falar sobre a sua história como mestre e brincante dos folguedos da cultura popular e a transição como artista de palco. Em São Paulo, a atividade será realizada no dia 26 de setembro, às 19h30, na Casa Mundu Rodá. A entrada é franca e as vagas são limitadas.

Bazar no Jardim reúne cerca de de 30 marcas em sua primeira edição

A Casa Rosada Recepções, no Rosarinho, recebe a primeira edição do Bazar no Jardim, dos empresários e produtores Davi Santiago e Juliane Figueiroa. A ocasião acontecerá nos dias 30 de setembro e 1 de outubro e vai reunir cerca de 30 marcas. Entre elas: Ville Vie, Cheap Shop, UV Action, Painite, Santali e Empório HD. A entrada custa R$5 e terá R$2 de cada ingresso revertido para o projeto Visão Mundial.

Rapha Torres, Giovanna Zirpoli, Dani Guedes e Nara Marques – Crédito: Luiza Fabiano

O projeto conta com a participação das blogueiras Rapha Torres, Nara Marques, Giovanna Zirpoli, Dani Guedes, Thaís Dutra e Renata Valença. O intuito é oferecer uma experiência completa de moda, beleza, gastronomia e diversão. “Também vamos disponibilizar um espaço de beleza com design de sobrancelhas, esmaltação e cuidados com os cabelos, além do espaço kids”, destaca Juliane.

Juliane Figueiroa, Rapha Torres e Davi Santiago – Crédito: Luiza Fabiano

Os homens também podem se animar. “O Espaço Homem vai reunir uma área gourmet, com direito à barbearia, sinuca, vídeo game e, é claro, cerveja gelada”, garante Davi Santiago. A expectativa é que 2.000 pessoas visitem o local durante o fim de semana de funcionamento. Em tempo, eles ainda pretendem movimentar cerca de R$560 mil reais em compras.

Primeiro documentário da Mostra Play The Movie será exibido neste sábado

O documentário abord aa trajetória de Serguei – Crédito: Divulgação

Neste sábado, 23, o Cinema do Museu vai exibir o primeiro documentário da Mostra Play The Movie, às 14h.  O longa em questão é Serguei, o Último Psicodélico. Ele fala sobre a trajetória de Serguei, precursor da psicodelia no Brasil e ícone do rock, nos anos 60 e 70. Nascido Sérgio Bustamante, ele provocou a tradicional família brasileira com suas atitudes não convencionais. A Mostra Play The Movie faz parte da programação do No Ar Coquetel Molotov. A sessão será gratuita.

Pipoca gourmet é tema do João Alberto Informal de hoje na TV Tribuna

A empresária Celiana Ribeiro é a entrevistada do João Alberto Informal, hoje, às 18h50 na TV Tribuna. Fala do sucesso do seu empreendimento, a Blend, de pipocas gourmet, inclusive do seu projeto de expansão para vários estados do país. E revela muitas cuiriosidades, como os vários tipos de milho e os que melhor servem para fazer pipoca.

 

Empresária lança coleção de vestidos plus size na Madalena

A empresária Edryenne Freitas lança, neste sábado, a partir das 9h, em esquema all day, a primeira coleção própria da Bye Bye Vestidos, na Madalena. Modelos voltados ao nicho plus size, que vão do manequim 42 ao 50, estarão disponíveis e à mostra para os interessados.

Edryenne Freitas –
Crédito: Rafael Figueiroa

Versões curtas e longas explorando tons como marsala, nude e rosé, assim como opções estampadas e com cortes bem definidos, estão entre as grandes apostas para casamentos, festas de 15 anos e formaturas. Em tempo, o selo pernambucano também apresenta o novo portfólio de acessórios como bolsas, brincos e sapatos para o verão 2018.

Apenas pra aluguel, o valor dos vestidos varia entre R$ 300 e R$ 880. A Bye Bye Vestidos fica localizada na avenida José Gonçalves de Medeiros, 150, Madalena.

“A CasaCor mostra o que há de melhor no mercado”, afirmam Isabela Coutinho e Carla Cavalcanti

Carla Cavalcanti e Isabela Coutinho – Crédito: Michelle Sanzere

Pelo segundo ano, Isabela Coutinho e Carla Cavalcanti comandam a CasaCor Pernambuco. As irmãs e empresárias foram as responsáveis por trazer a mostra de volta à Zona Norte, tomando conta de um casarão tombado na Avenida Rui Barbosa. Da mostra do ano passado, elas aprimoraram as experiências e escutaram os desejos do público. Em 2017, a proposta é que a CasaCor seja um espaço de convivência, onde os visitantes possam usufruir de todos os ambientes, incluindo o café, restaurante e bares instalados nos jardins da casa.

Aberta oficialmente nessa sexta-feira, a CasaCor promete reunir todas as inovações e tendências da arquitetura e design. “Temos um ambiente com uma luminária que estava na Maison & Objet Paris, a maior feira de objetos do mundo, que aconteceu agora no início de setembro. Isso mostra como somos atuais e que nossos profissionais estão atrás das tendências de todo o mundo”, revelou Isabela Coutinho.

Carla Cavalcanti e Isabela Coutinho comandam pela segunda vez a CasaCor – Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação

Em bate-papo com o Blog João Alberto, as franqueadas comentaram sobre as novidades da edição e as expectativas para a mostra. “O Masterplan foi modificado e a ideia é que o público possa desfrutar da casa e que seja uma CasaCor que você pode passar o dia nela”, contou Carla. “A mostra está bem completa. Há um pouco de tudo, de todos os estilos”, completou.

Confira a entrevista com Isabela Coutinho sobre as novidades da mostra, as tendências, os desafios e a importância da CasaCor Pernambuco:

Qual o tema da CasaCor deste ano?
A CasaCor obedece ao tema central nacional. Esse ano é o Foco no Essencial, que  significa buscar o essencial para viver, para morar. Passamos um pouco pela questão do “menos é mais”, do suficiente, da falta de excesso.

Como está a estrutura desta edição?
Estamos com 45 espaços e 88 profissionais. Neste ano, todo o Masterplan foi refeito por Mário Santos, filho de Janete Costa. Ele faz a CasaCor do Rio de Janeiro há mais de 10 anos, e deu outra leitura ao fluxo da casa. Por exemplo, a entrada mudou, antes era pela Avenida Rui Barbosa, agora será pela Rua Cardeal Arcoverde. O que era restaurante virou sala, living virou quarto… Deu uma repaginada completa. Mário costuma ter um tema para ele, e dessa vez, ele fez uma casa para um casal moderno, em seu segundo casamento. Temos a menina, filha do primeiro casamento da mulher, e o rapaz, filho do primeiro casamento do homem. Depois, eles se casaram e tiveram um bebê. Mário sempre busca contar uma história e essa é de uma família moderna, do Século 21.

Casarão na Rui Barbosa volta a sediar a mostra – Crédito: Divulgação/Casa Cor

Qual a importância da Casa Cor para os arquitetos e para o público?
É uma mostra que valoriza não só a decoração e o designer, mas também as artes de maneira em geral. Une gastronomia, música, arte contemporânea, popular… Sempre temos uma loja com curadoria de pessoas muito competentes, com artistas populares. Ela movimenta antes, durante e depois a economia, os fornecedores, as artes. Dá visibilidade. Traz um melhoramento do patrimônio do município. A gente entrega a casa toda restaurada, as madeiras, o piso, o jardim. Além de todos os empregos diretos e indiretos.

Quais as principais mudanças da mostra em relação ao ano passado?
Além dos ambientes estarem em lugares diferentes, temos a questão dos profissionais. A grande maioria do ano passado permaneceu, mas trouxemos outros profissionais jovens, novos talentos. Eles desempenharam um papel fundamental. Nós buscamos sempre dar estímulos a novos nomes, que fazem um trabalho belíssimo. Os profissionais em geral pesquisam muito também, então teremos novidades das tendências de móveis e tudo mais.

O que vocês aprenderam na primeira experiência e que amadureceram nesta edição?
Neste ano,  amadurecemos e consolidamos a experiência em organização. Também em dar valor a coisas importantes que a nossa sociedade exige, como sustentabilidade. Estamos trabalhando com a doação de materiais para entidades filantrópicas, fazendo coleta seletiva do lixo, com selo ambiental. Nisso evoluímos muito. A casa é sustentável em tudo. E isso são coisas que todos nós como sociedade precisamos aprender.

CasaCor terá Gin Bar, por Diego Ferraz, onde o público poderá curtir a noite – Crédito: Rogério Maranhão/Divulgação

A casa tem mais ambientes para o público utilizar, como restaurante, bares e café. Qual a importância desse conceito?
No ano passado, vimos que o visitante da Casa Cor não quer só ver a mostra. Ele quer usufruir do momento, quer jantar, quer levar um idoso para tomar um chá à tarde, quer ir num bar à noite… Buscam uma casa de entretenimento. Vendo essa necessidade, aprimoramos os conceitos. Temos um restaurante extremamente conceituado, o Toscana, responsável também pelo bar. Temos a casa de Gim, que é uma coisa que está em alta no mundo e o café que foi ampliado por conta da demanda mesmo, que foi muito grande. Agora, as pessoas vão poder sentar, relaxar, curtir. Isso será na casa toda, queremos que o visitante possa tomar um drinque no jardim, que o restaurante possa ir até ele.

Quais as inovações tecnológicas que o público pode esperar?
A tecnologia é sempre extremamente explorada por todos os profissionais. E isso deve ser até uma surpresa. Cada um quer deixar seu trabalho marcado. Tanto na parte de cozinhas, quanto de som, podemos esperar muitas inovações.

Quais as principais tendências em destaque?
A tendência é mesmo o “essencial”. O bom gosto, o design e o conforto. O profissional é essencial, o bom projeto. Claro que todo ano temos as tendências da moda, dos móveis, mas a base que é a arte e o bom projeto, sempre fica.

Nesta temporada, quais os tons que sobressaem na decoração de ambientes? E as texturas?
Os tons de rosa estão sendo muito usados esse ano. Os verdes também têm presença. E nas texturas sempre temos novidades, seja em tecidos ou em papel de parede. Esse ano tem uma parede que você acha que é mármore, mas é papel de parede. Além dos pisos, muitas madeiras. Na CasaCor você pode ver tudo que há de lançamento no sentido de material, mobiliário, criação e tendências. Mostra o que há de melhor no mercado.

Quais as principais tendências em relação aos objetos que integram ambientes?
Existem os clássicos, que sempre são usados e os lançamentos. Estamos representando todos por lá. Temos grandes lojas da cidade, nomes internacionais e nacionais. Temos Sergio Rodrigues, Jader Almeida… Isso unido a arte popular e contemporânea.

Qual o motivo de fazer a mostra no mesmo casarão? Como foi a recepção do público?
A CasaCor “mestra”, de São Paulo, nos orienta que dá para fazer a mostra na mesma casa por duas ou até três vezes, para explorar bem a riqueza do lugar. Mas nós só vamos fazer até esse ano. Hoje, a casa está ainda mais restaurada. A gente acredita que, num bairro como as Graças, uma casa do Século XIX, engrandece o evento. Queremos seguir nesse mesmo caminho, procurar locais que tragam história, raízes. A recepção foi muito boa, extraordinária. E esse ano vamos fazer uma divulgação ainda maior. Isso deve aumentar a visitação.

A mostra em Pernambuco acompanha as tendências de arquitetura e decoração lançadas mundo afora?
Com certeza. Ela está absolutamente atrelada e nivelada com as grandes mostras do Brasil e de fora. Ela é feita por profissionais que têm essa visão atualizada. Temos tecnologia, mobiliário, de materiais, cores, os lançamentos. Por exemplo, temos um ambiente que tem uma luminária que estava na Maison & Objet Paris, a maior feira de objetos do mundo, que aconteceu agora no início de setembro. Isso mostra como somos atuais e que nossos profissionais estão atrás das tendências de todo mundo.

Carla Cavalcanti e Isabela Coutinho com Pedro Ariel, diretor da CasaCor – Crédito: Roberto Ramos/DP

Pedro Ariel, diretor de conteúdo da CasaCor, é um dos nomes mais respeitados quando o assunto é casa e decoração. Ele interferiu muito na concepção da mostra no Recife?
Sempre. Ele está nesse ramo, como jornalista e arquiteto, há anos. Ele tem um feeling e uma percepção fundamental e passa isso para a gente. Tanto na curadoria dos profissionais, quanto no apoio a nós como franqueadas. Livia Pedreira, superintendente nacional da CasaCor, também. Ela virá para a festa e vai receber os convidados conosco. É uma pessoa extremamente respeitada e com um nível absolutamente alto.

Qual o principal desafio de manter este evento no calendário pernambucano?
É você manter a relevância e primar pela qualidade do evento. Que traga renovação, modernidade e conhecimento tanto para os visitantes, estudantes e profissionais. É trazer o que há de mais atual e divulgar sempre as artes, trazendo informação para as pessoas.

Em meio à crise, você acredita que os profissionais se adaptaram a projetos com menor orçamento?
Acho que sim, isso vem naturalmente. Os excessos estão menos explícitos, você tem que se adaptar ao que é possível. Antes se usava muito tecidos importados, caros. Neste ano, eles primaram pelo bom, sem excesso. Houve essa preocupação.

Como você percebe o papel da decoração e do design no momento atual, além do comportamento do público consumidor?
Acho que é um papel de orientação, de conhecimento. O profissional orienta, a população assimila, leva para casa e adapta. O público pega a informação e traz para sua vida de forma prática. E ali você tem o conjunto de técnica e beleza.

E quais as suas perspectivas para o universo de decoração? Como ele pode se reinventar em meio a este cenário econômico?
Acho que podemos nos reinventar criando coisas de maneira palpável e plausível. Eu acho que é isso. O profissional realiza o que o cliente pede respeitando a necessidade. Seja aquele que fabrica o piso, que vai em busca de um material bonito, porém em conta. As pessoas estão se preocupando mais com qualidade também.

Se você pudesse escolher um ambiente para fazer um projeto, qual seria?
Dentro da casa, eu faria qualquer um dos ambientes respeitando o essencial e misturando arte com design. Qualquer um eu ficaria feliz.

Leia também:

Um giro pela CasaCor Pernambuco: conheça os ambientes da 20ª edição da mostra