Noite de Rei do Baião na tela do São Luiz

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

O centenário de Luiz Gonzaga continua promovendo diversas homenagens ao Rei do Baião. E o público pernambucano mostra que nunca se cansará de ouvir a inconfundível voz grave, o famoso toque da sanfona e todas as histórias que cercam o músico símbolo do Nordeste. Prova disso foi dada na noite desta quarta-feira, no Cinema São Luiz, que sediou a pré estreia nacional de Gonzaga – de pai para filho. O filme conta a história de Gonzaga desde a adolescência até a velhice, destacando a relação do artista com o filho Gonzaguinha. As cenas foram tomadas sob recortes de uma entrevista que o filho fazia com o pai, já no fim da vida.

Chambinho do Acordeon - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Adélio da Silva e Breno Silveira - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

A sala do São Luiz, revitalizada e modernizada, ficou completamente cheia. Tanto que faltaram cadeiras. Foram formadas fileiras de pessoas em pé na parte de trás e de outras sentadas nos corredores. Mas ninguém parecia se importar. O público estava tão encantado com o que assistia que vibrava junto com as cenas mais marcantes ou silenciavam completamente nas passagens mais dramáticas. O responsável pela obra, Breno Silveira, era um dos presentes na sala do cinema. Ele dirigiu algumas palavras antes do início da sessão: “Gonzaga é grande demais para um filme. É grande demais para dez filmes. Sempre vai estar faltando alguma coisa, mas é impossível falar de tudo. O que vocês verão aqui são pequenos retratos. Quanto mais eu filmava, mais eu descobria”.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Com ele também estava parte do elenco. Chambinho do Acordeon, que interpreta o Rei do Baião dos 27 aos 50 anos se mostrava emocionado com a repercussão da obra. Paulista, ele cresceu no Piauí e esteve sempre em contato com a família de sanfoneiros que tinha Gonzaga como maior influência. Assim como ele, Adélio de Lima, natural de Caruaru, também deu vida ao sanfoneiro nas telonas. Ele engordou 27 kg e submeteu a três horas de maquiagem por dia de gravação para representar a fase idosa do “Véio Macho”. Sílvia Buarque, Júlio Andrade e Alison Santos completaram o time dos atores na pré-estreia.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Marina Elali - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Artistas nacionais de diferentes estilos também foram reverenciar a história de Gonzaga, a começar por Santana. O sanfoneiro comentou sobre aquele que o influenciou “como músico e como cidadão”, ao relembrar a figura do amigo. Juntaram-se a ele Cezzinha, Alcimar Monteiro e Marina Elali. O mundo político também garantiu presença, com Fernando Duarte, Antônio Campos, Tadeu Alencar, Carlos Braga e Severino Pessoa. Eles representaram o governo do estado, parceiro e patrocinador do projeto. A estreia oficial do filme será no dia 26.

Fernando Duarte e Severino Pessoa - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

Alexandre Alencar e Monica Feijó - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press.

 Leia mais:

Pré-estreia ao som de sanfona

Galeria de imagens: Pré-estreia de Gonzaga no São Luiz

 

Autor:: admin

Compartilhe este post sobre