Lúcia Veríssimo fala sobre Usufruto

Lúcia Veríssimo Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Lúcia Veríssimo Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Ela escreve, dirige, produz e se divide entre a dramaturgia nos palcos e na televisão ao mesmo tempo. A multifacetada em questão é Lúcia Veríssimo, que traz Usufruto ao Teatro Santa Isabel, em cartaz no sábado, às 20h, e domingo, às 20h. Aos 55 anos, a carioca roda o país com a peça há três anos, mas só agora se apresenta em solo pernambucano.

Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Sobre o processo de criação do texto, ela afirma que foi bastante rápido e as ideias fluíram naturalmente. “Escrevi Usufruto em apenas uma semana, durante os intervalos de gravação da novela América, em 2005, enquanto esperava a mudança de cenário e luz”, conta. O espetáculo gira em torno do encontro casual em um apartamento de uma mulher de 50 anos, interpretada pela atriz, e um arquiteto de 30 anos, vivido por Cláudio Lins Filho. A dupla disputa a compra do imóvel e, a partir daí, se inicia um jogo no qual o perdedor deve desistir.

“Decidi abordar a hipocrisia como tema central da trama, pois vivemos em uma sociedade muito hipócrita e uma das minhas bandeiras é lutar contra o fingimento”, diz.

Lúcia Veríssimo Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Lúcia Veríssimo Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Questionada sobre a escolha do nome da peça, ela faz mistério. “A plateia descobre o significado e o que representa para o casal na última cena, mas posso adiantar que todo mundo sairá de lá surpreendido”, fala.

Simpática, ela antecipa a grande novidade: Usufruto vai invadir as telonas e virar filme, que começa a ser rodado em fevereiro de 2014 em inglês e fora do Brasil. “Não vou atuar, pois quero fazer meu primeiro longa-metragem como diretora. Também desejo que o acesso a obra seja universal e, para isso, o elenco será estrangeiro”, adianta.

Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

Crédito: Laís Siqueira/DP/D.A Press

No próximo dia 26, Lúcia aparece em “Amor à Vida” como a mãe de Paloma (Paola Oliveira). Segundo ela, a personagem promete cativar os espectadores, mas ela não adianta como. Mesmo com a agenda cheia de compromissos profissionais, ela já articula outros projetos para lançar em 2014 e 2015: um seriado de humor com texto próprio e um livro com alguns escritos já publicados em seu blog.

Author: admin

Share This Post On