Absinto Muito reuniu mais de 2 mil pessoas

Por Fernanda Guerra

A maratona de prévias prova que pernambucano tem pique para festas. A terceira edição do Absinto Muito dividiu atenção com festas como Segura a Seringa (com Chiclete com Banana), algo comum no calendário que antecede os quatro dias de folia. Ainda assim, atraiu mais de 2 mil pessoas e antecipou o clima carnavalesco. Orquestra de frevo e adereços de fantasia, inseridos na entrada, indicaram que o carnaval está batendo na porta. Ainda abriu espaço para outros estilos musicais, como o funk dos cariocas do Bonde do Tigrão.

Crédito: Innovo/Divulgação

Bonde do Tigrão – Crédito: Innovo/Divulgação

Com abertura do projeto Os Reginaldos, a festa ocorreu na sexta-feira à noite no Baile Perfumado, organizada pela Pozitiva Produções. A apresentação relembrou o saudoso cantor Reginaldo Rossi, que morreu em dezembro. Clássicos do Rei ganharam nova roupagem e o coro do público. O absinto, bebida verde que dá nome à festa, foi servido gratuitamente às mulheres durante parte da noite.

Rafaela Lucena e Thiago Sampaio - Crédito: Innovo/Divulgação

Rafaela Lucena e Thiago Sampaio – Crédito: Innovo/Divulgação

O fato virou mote para o vocalista da Faringes da Paixão brincar com a situação e emendar com o sucesso de Gaby Amarantos: “Ela ta ‘bêba’ doida”. A queridinha do público (sobretudo o jovem), Faringes da Público foi a segunda a subir ao palco. Em quase duas horas de apresentação, os músicos foram além e cantaram Mamonas Assassinas, Edson Gomes, Almir Rouche, André Rio e Marrom Brasileiro. Mesclou brega com os estilos das próprias canções.

Lucas Gomes com o Bonde do Tigrão - Crédito: Innovo/Divulgação

Lucas Gomes com o Bonde do Tigrão – Crédito: Innovo/Divulgação

Quando a festa parecia acabar e o público começou a se dispersar, um anúncio fez voltar a ficar lotado. Era o chamado para o Bonde do Tigrão, que convidou as “tchutchucas”e “tchutchucos” para se render ao funk. A “fera” voltou depois de participar do carnaval do ano passado em Olinda. O grupo, com 13 anos de estrada, agitou a festa, principalmente, com hits de década atrás. Cerol na mão e Tchutchuca foram alguns dos funks nostálgicos.

Luiza Cohim - Crédito: Innovo/Divulgação

Luiza Cohim – Crédito: Innovo/Divulgação

Crédito: Innovo/Divulgação

Crédito: Innovo/Divulgação

Crédito: Innovo/Divulgação

Crédito: Innovo/Divulgação

Author: Thayse Boldrini

Share This Post On