Cecília Freitas é cidadã do Recife

Cecília Freitas ladeada por Vicente e Priscila Krause - Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

Cecília Freitas ladeada por Vicente e Priscila Krause – Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

A empresária Cecília Freitas, nome à frente do Gruponove, recebeu, na tarde desta quinta-feira, em solenidade na Câmara Municipal do Recife, o título de cidadã recifense, proposto por Priscila Krause. Apresentada pelo presidente da casa, Vicente André Gomes, a cerimônia foi bastante prestigiada.

No seu discurso, a vereadora frisou alguns aspectos da vida da homenageada, a exemplo do seu espírito empreendedor desde cedo. Natural de Pesqueira, Cecília começou a carreira em uma área bem diferente da que atua hoje em dia. Se formou em biblioteconomia pela Universidade Federal de Pernambuco, mas, depois de algum tempo, decidiu dar margem a um desejo antigo: o de atuar na área de comunicação, foi quando entrou para o curso de Comunicação Social da UFPE.

Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

Depois de formada e de muitas experiências, ela montou, ao lado de algumas amigas, agência de publicidade chamada Agência Experimental Meio, que, depois, viria a ser chamada de Gruponove, nome bastante reconhecido no mercado não só pernambucano como nacional. Nove mulheres que conseguiram se sobrepor em um mercado majoritariamente masculino.

Emocionada, Cecília falou sobre a honra de receber o título, que é a concretização de não ser recifense apenas de coração, e relembrou momentos da infância no bairro do Espinheiro, Zona Norte da cidade. Em alguns momentos, arrancou risadas dos presentes com as histórias da infância, época em que, já empreendedora, Cecília começou a vender e trocar mangas, mas percebeu que as frutas tornavam seu “negócio” muito limitado, já que não davam em todas as épocas do ano.

Cecília Freitas - Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

Cecília Freitas – Crédito: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

Resolveu, então, comprar algumas galinhas, que foram todas roubadas pouco tempo depois, causando, segunda ela, grande comoção em toda a família. E foi assim que ela descobria, cada vez mais, a sua vocação e tirava lições que lhe serviriam no futuro. A empresária citou, também, a importância do seu irmão mais velho, o desembargador Fausto Freitas, que, na falta do pai, que morreu precocemente, aos 35 anos, cuidou da família ao lado da mãe.

Author: Gabriella Autran

Share This Post On