O complicado futuro do PSB

Roberto Amaral e Eduardo Campos/PSB/Divulgação

Roberto Amaral e Eduardo Campos/PSB/Divulgação

O candidato a vice-governador de São Paulo, Marcio França, tesoureiro do PSB, na chapa de Geraldo Alckmin, garante que a eleição de Rodrigo Rollemberg no DF e Paulo Câmara em Pernambuco “são contra o PT” e que sua legenda, no caso da vitória de Dilma, “não vai integrar um governo petista”. Não é bem assim: a recondução de Roberto Amaral à presidência do PSB poderá significar, no médio prazo, a volta dos socialistas ao governo da presidente, caso se reeleja. Ele sempre foi contra o rompimento de Eduardo Campos e mesmo contra Marina ter assumido o lugar dele na corrida ao Planalto. E convenhamos: Roberto Amaral nem de longe tem a liderança de Eduardo Campos.

Author: João Alberto

Share This Post On