Festival de Circo do Brasil arma lona no Recife

Homenageando o artista pernambucano Antônio Nóbrega, o Festival de Circo do Brasil (FCB) promove sua décima edição ainda este mês no Recife. Ocupando o posto de segundo festival de circo mais antigo do país, o FCB traz o tema “Somos Todos Brincantes” e acontece entre os dias 31 de outubro e 9 de novembro. Neste ano, o festival prestigia mais o circo moderno, mas não deixa de dar ao circo de lona o seu devido espaço.

Caravana Tapioca (Pernambuco). Crédito: Marilia Chalegre/Divulgação

Caravana Tapioca (Pernambuco).
Crédito: Marilia Chalegre/Divulgação

Na programação, que será divulgada amanhã no site do evento, trupes de circo da França, Espanha, Suíça e Bélgica se juntam à artistas nacionais. Os espetáculos serão apresentados no Parque Dona Lindu e nos teatros Santa Isabel, Apolo, Luíz Mendonça, Guararapes e Hemilo Borba Filho. Haverá programação gratuita, no Parque Dona Lindu, e os ingressos das apresentações nos teatros custam entre R$5 e R$40 e estarão a venda nas bilheterias.

Gardi Hutter (Suíça). Crédito: Divulgação

Gardi Hutter (Suíça).
Crédito: Divulgação

Também no Parque Dona Lindu, outras duas intervenções. O festival promove o espaço “Vivência Circense”, um espaço onde o público pode entrar em contato com as atividades de circo gratuitamente. Na Galeria Janete Costa, duas exposições. “Brincante”, será uma mostra com 15 fotos de Antônio Nóbrega tiradas por Walter Carvalho durante os últimos 10 anos, além de alguns objetos do personagem Tonheta. Também na Galeria Janete Costa, haverá uma exposição de fotos das últimas nove edições do festival.

Les Rois Vagabonds (França). Crédito: Anne Wenger/Divulgação

Les Rois Vagabonds (França).
Crédito: Anne Wenger/Divulgação

O homenageado do festival, traz muitas novidades. Além de se apresentar como espetáculo Tonheta e Companhia e fazer um show aberto ao público, ele fará a pré-estreia do seu filme “Brincante” dentro do festival. Dirigido por Walter Carvalho, o longa retrata a obra do multiartista pernambucano. Serão duas sessões no cinema da Fundação Joaquim Nabuco, no dia 3 de novembro, com entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes das apresentações, que serão às 19h20 e 21h10.

Cena do filme "Brincantes". Crédito: Divulgação

Cena do filme “Brincantes”.
Crédito: Divulgação

Além dos espetáculos, o festival também oferecerá oficinas. Serão duas oficinas voltadas para o público em geral (mágica e mastro) e uma para profissionais ministrada por um professor da Lido, renomada escola de circo francesa. Na oficina de mágica, serão duas turmas, sendo uma só para crianças. Já na oficina para profissionais, serão 14 sortudos selecionados. A ideia é, no futuro, montar o primeiro espetáculo franco-brasileiro para turnês no país. Para todas as oficinas, o número de vagas é limitado e as inscrições já estão abertas no site do evento.

Dirque & Fien (Bélgica). Crédito: Geert Brams/Divulgação

Dirque & Fien (Bélgica).
Crédito: Geert Brams/Divulgação

A programação também conta com duas mesas redondas para debates de temas atuais do mundo circense, ambas no dia 3 de novembro. A primeira tratará do tema “Circo e Empreendedorismo”, mediada pela diretora da Circo Escola de Ecocidadania ONG Juriti, Cristina Diogo. O segundo debate será sobre a interseção entre circo e dança, com a participação do homenageado Antonio Nóbrega e de Valéria Martins (RJ) e Arnaldo Siqueira (PE). Para o ano que vem, a organização já adianta: o fio condutor do festival será a mágica.

Tholl (Rio Grande do Sul). Crédito: Juliano Kirinus/Divulgação

Tholl (Rio Grande do Sul).
Crédito: Juliano Kirinus/Divulgação

Author: Beatriz Pires

Share This Post On