Maria Rita fez show cheio de sentimentos no lançamento do Sociedade Pernambucana

selo festa joao alberto

Maria Rita - Crédito: Paulo Paiva/DP/DA Press

Maria Rita – Crédito: Paulo Paiva/DP/DA Press

Ritmo, força e energia definem bem o novo show de Maria Rita, intitulado “Coração a Batucar”. Esta foi a primeira a vez que foi apresentado em Pernambuco, com exclusividade para o lançamento do livro Sociedade Pernambucana. A festa, que mais uma vez reuniu muitos admiradores do jornalista João Alberto Martins Sobral, aconteceu na noite da última terça-feira, na Arcádia Paço Alfândega, que ganhou decoração especial de Robson Chagas.

Por volta das 19h, a artista ainda terminava de passar o som com a sua banda. “Vamos fazer a abertura?”, perguntava a cantora aos seus parceiros de trabalho. Ainda de calça jeans, camisa de manga e óculos, ela caminhava de um lado a outro do palco, ensaiando como seria a apresentação principal. Neste momento, alguns convidados foram chegando, inclusive o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara. Ela terminou a passagem de um local onde os convidados não podiam vê-la.

Maria Rita subiu ao palco às 22h30, linda, com um vestido cheio de cor, de vermelho. Foi introduzida pelos músicos batendo palmas, batucando. “Eu não nasci no samba, mas o samba nasceu em mim”, começou cantando, ainda com as palmas, já com o público cantando junto esse trecho da música “É corpo, é alma, é religião”.

Depois, seguiu por um caminho já conhecido e amado por todos. Cantou a música “Cara Valente”, um dos grandes sucessos da sua carreira. Outro ponto alto da apresentação, tão cheia de sentimento e emoção, foi quando ela cantou “Rumo ao Infinito”, canção que faz parte do novo trabalho.

Crédito: Gabriella Autran/DP/D.A.Press

Crédito: Gabriella Autran/DP/D.A.Press

Maria Rita esbanjou simpatia, carisma e, vale repetir, sentimento. Via-se de longe a sintonia entre ela, sua banda, seu público. Quem esperava um show recebeu muito mais em troca: interpretação excessivamente sensível, incrível. “E vamos à luta”, de Gonzaguinha, também entrou no repertório da noite.

“Eu adoro festa, todo mundo sabe. Quando sou chamada para fazer o que eu mais amo, que é cantar, na festa de outra pessoa é melhor ainda”, conversou com o público. Durante a apresentação, ainda, procurou o jornalista João Alberto e disse: “É, o João Alberto não está por aqui”, e as pessoas logo indicaram onde o colunista estava. “Ótimo, então ele está me ouvindo”, continuou e agradeceu ao anfitrião.

Maria Rita interpretando a música "Mainha me ensinou" - Crédito: Gabriella Autran/DP/D.A.Press

Maria Rita interpretando a música “Mainha me ensinou” – Crédito: Gabriella Autran/DP/D.A.Press

“Maria do Socorro”, uma das sua músicas mais conhecidas e queridas, fez com que todo mundo cantasse junto, dançasse, enquanto ela acompanhava fazendo o mesmo do palco. Era de arrepiar a desenvoltura dela a cada música, presença de palco e carisma impecáveis, uma energia para não se colocar defeito. Cheia de nomes de peso, a banda demonstrava uma sintonia admirável com a cantora. Foi, definitivamente, uma apresentação em conjunto, onde todo mundo “aparecia”. Davi Moraes, filho do grande Moraes Moreira, é um dos integrantes do grupo, que segue a artista por todo o país.

Foi de olhos fechados que Maria Rita cantou “Mainha me ensinou”, uma canção que exala lembrança, gosto, tento. Ela encerrou com “Tá perdoado”, música cheia de ritmo, que fez o público dançar em clima de despedida. Depois, então, ela saiu do palco e voltou com um bonus. Cantou “O homem falou” e se despediu de vez do público, que ficou, sem dúvida alguma, com gostinho de quero mais. Assista a alguns vídeos:

Leia mais:

– Noite de glamour e samba no lançamento do Sociedade Pernambucana

Author: Gabriella Autran

Share This Post On