Jane Suassuna: mulher forte e determinada

selo-mulheres-que-inspiram

Jane Suassuna - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

A empresária Jane Suassuna é um exemplo de mulher de força e determinação. Quando ela bota uma ideia na cabeça, vai longe e não tem quem a faça parar. Nome à frente do Porto Fino Buffet e Recepções, Jane começou do zero: fez cursos, correu atrás dos seus sonhos e com a carreira consolidada no ramo, chegou ao  auge, sendo eleita a melhor banqueteira do país, em prêmio concedido pela revista Prazeres da Mesa, uma das mais conceituadas em gastronomia.

Jane Suassuna com o prêmio de Melhor Banqueteira do País - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna com o prêmio de Melhor Banqueteira do País – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Casada com Alberto Suassuna e mãe de dois filhos, Rafaela, chef de cozinha, e Pedro Suassuna, à frente de uma cozinha industrial, Jane veio do sertão de Pernambuco aos 18 anos, com intuito de cursar uma graduação no Recife. Passou no vestibular de Relações Públicas e decidiu enveredar para a área de concurso público, um deles, do Bandepe, onde ingressou no mercado de trabalho e trabalhou por 15 anos como atendente e caixa. Em 1991, acabou sendo demitida do banco após um corte da empresa, que demitiu 3 mil funcionários.

Jane Suassuna - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

“Nessa época, eu pensei: O que eu vou fazer da minha vida? Tive uma ideia e comecei a vender colcha, rede, tapete, passadeira de mesa e artigos de artesanato para as amigas”, contou. Jane viajava até Tacaratu e voltava para o Recife com o carro cheio de mercadorias. O negócio, no entanto, só durou três anos, devido a problemas de saúde que desencadearam através do contato com aquele tipo de material.

Jane Suassuna - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Por gostar de botar a mão na massa, Jane não conseguiu ficar muito tempo parada e logo se tornou pioneira no serviço de criação de cestas de café da manhã no Recife em 1995. “Até 1998, eu sobrevivi de cestas de café da manhã. E foram elas que me mostraram um mercado carente de buffet. Até que um dia, o superintendente do Credicard me ligou e perguntou se eu teria condições de fazer um coffee break. Na hora, eu perguntei ‘coffee o que?’ Moço, eu não sei fazer isso”, respondeu. O interesse das pessoas pelo serviço começou a despertar o tino empreendedor da moça do interior. Jane não pensou duas vezes. Partiu para cursos de decoração, planejamento e organização de buffet no Senac. “Eu cheguei ao Senac e o diretor me disse que a turma já estava completa. Na hora, perguntei: é cadeira que está faltando? Eu trago meu banco de casa. Eu preciso disso para a minha vida, quero transformar isso num negócio”, contou. De lá, saiu com a ideia de montar uma casa de recepção.

Jane Suassuna - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna - Crédito: Juliana Leitão/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Juliana Leitão/DP/D.A Press

Determinada e cheia de coragem, na semana que resolveu entrar em campo, vendeu três festas para um mesmo dia, sendo um dos seus primeiros clientes, o Bandepe. “Eu produzia todo o buffet no meu apartamento, na Avenida 17 de Agosto. Não tinha nenhuma estrutura, pratos, copos, absolutamente nada. Estava gostando do que eu tava fazendo e resolvi divulgar o trabalho no boca a boca”. Em 1999, alugou uma cozinha e um depósito. Três anos depois, nascia a Porto Fino Recepções, em Casa Forte. Quando questionada sobre a inspiração para o nome do seu primeiro negócio, ela respondeu com um enorme sorriso no rosto: “Não sei. Veio do nada. Essa pergunta é a única que não vou saber responder pra você”.

Imagens da fachada da Porto Fino Zona Sul e Porto Fino Casa Forte - Crédito: Rebeca Silva/DP/D.A Press e

Imagens da fachada da Porto Fino Zona Sul e Porto Fino Casa Forte – Crédito: Rebeca Silva/DP/D.A Press e

Na época, ela comandava uma equipe de quatro funcionários, sempre acompanhando tudo de perto, desde o atendimento, estocagem, produção, até logística e arrumação do evento. Hoje, Jane é proprietária de duas casas de festas: a Porto Fino em Casa Forte, em Piedade, e atende em média 110 mil pessoas por ano. Uma lista que, por sinal, inclui nomes de peso. Jane já preparou buffet para Lula, Fernando Henrique Cardoso e Dilma Rousseff. Durante uma visita ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, a empresária tirou um cartão do bolso, virou para Marta Suplicy e soltou: “Sou Jane Suassuna, empresária e dona da melhor casa de recepção do Recife. Quero que a senhora nos visite”, disse sem rodeios.

Jane Suassuna - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Jane Suassuna – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Durante os 18 anos de estrada, o momento mais desafiador foram os eventos internacionais que fez em Frankfurt e Los Angeles por conta de toda a logística de material que teria que levar para outro país. Mas, em nenhum momento Jane pensou em desistir. Hoje, a casa é uma das mais respeitadas do setor e sinônimo de sucesso e realização de sonhos para quem comemora 15 anos, casamentos e festas em geral nos seus espaços. “Eu faço o resumo da minha vida em uma frase: “Os desertos que atravessei, ninguém me viu passar”, finaliza a empresária, uma das homenageadas da série Mulheres que inspiram.

Author: Thayse Boldrini

Share This Post On