Mel Lisboa: “Para viver a Rita, precisei me modificar”

Há alguns anos a internet foi bombardeada com a foto de divulgação do musical Rita Lee Mora ao Lado. A semelhança entre Mel Lisboa, atriz escolhida para interpretar o papel principal da história, e a cantora ícone do rock brasileiro, impressionou a todos. Passados os anos, a peça está chegando ao Recife para duas encenações, neste sábado e domingo, no Teatro RioMar, e o Blog João Alberto bateu um papo com Mel, que falou sobre a emoção de interpretar a Rita Lee, como fez a escolha de assumir o papel, o prêmio de melhor atriz em musicais e seus projetos futuros. Confira:

Créditos: Divulgação

Mais de cinco anos se passaram desde que Mel Lisboa recebeu o convite para viver a cantora Rita Lee nos teatros. Créditos: Divulgação

1-Quantos anos passaram desde o início do projeto até a peça tomar forma e estar nos teatros?
Rapaz, não posso te dizer ao certo, mas tem mais de cinco anos que eu recebi o convite para participar do musical.

2-Como é interpretar uma estrela tão emblemática quanto a Rita Lee?
É uma grande responsabilidade! Eu me sinto muito lisonjeada, contente e honrada. É um grande prazer interpretar uma pessoa como a Rita Lee. Eu acho que ela é uma figura super carismática e fantástica. Fico muito feliz de ter esta oportunidade.

A caracterização da atriz fez com que ela ficasse muito parecida com a homenageada da peça. Créditos: Divulgação

A caracterização da atriz fez com que ela ficasse muito parecida com a homenageada da peça.
Créditos: Divulgação

3-Como foi a sua adaptação ao papel? A sua caracterização ficou incrível, a semelhança com a cantora foi enorme. Isso te ajudou a fortalecer o papel e encarar a personagem?
A Rita é uma figura muito forte, com características bastante marcantes. Se você desenhar uma bonequinha com cabelos vermelhos e óculos redondos, automaticamente vai pensar nela. A parte da caracterização não me preocupou muito. Sabia que no momento em que começasse a me arrumar, iria ficar parecida e os fãs iam reconhecer. Eu queria conseguir me enxergar na personagem, indo muito além destes símbolos que a marcam tanto. Queria que fosse uma caracterização de dentro pra fora. Queria que a plateia assistisse à peça, soubesse que era uma atriz lá no palco, mas conseguisse enxergar a Rita Lee, indo muito além do cabelo e dos óculos.

4-Interpretar a rainha do rock é uma responsabilidade e tanto, ano passado Rita Lee estava na plateia assistindo à sua interpretação. Como foi a sua reação quando soube que ela estava lá, o que passou na sua cabeça no momento?  Quando vocês se encontraram ela falou alguma coisa a respeito do espetáculo?
Pra mim foi superemocionante, um misto de sensações, sabe? A primeira vez que ela assistiu à peça, ninguém do elenco sabia que ela estava lá. Quando deram a notícia, eu fiquei muito feliz, emocionada e com muito medo. Minha única reação foi chorar. Estava feliz por ela estar ali e com muito medo por não saber exatamente o que ela achou do espetáculo. Fiquei superapreensiva. Quando ela subiu no palco, me falou várias coisas, mas eu estava numa animação, alegria e adrenalina tão grande que não conseguia me lembrar de nada (Risos). Com o tempo, fui lembrando que ela disse que gostou bastante e tinha um carinho muito grande pelo meu trabalho. Que ficou muito feliz por ter sido interpretada por mim. Foi uma honra muito grande e para todo o elenco ver que ela estava lá e tinha gostado do trabalho. Me senti extremamente recompensada tendo o aval dela.

5-Você já conhecia o trabalho da Rita Lee? Era fã? Ou apenas se interessou quando começou a trabalhar no projeto?
Eu já gostava muito, tinha vários discos e sabia um pouco sobre a história dela, mas quando você começa a estudar o personagem, é impossível não criar um vínculo enorme e se apaixonar cada vez mais pela pessoa.

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

6-Quantas canções estão na peça?  Tem alguma que você goste mais de interpretar, que mexe mais com você?
Eu não sei te dizer ao certo quantas são. Algumas pessoas dizem que são 39, mas esse era o número inicial e já tiveram vários ajustes na peça.  Eu não tenho uma preferida, depende muito do dia, sabe? Gosto muito de cantar Doce Vampiro, é um momento muito legal do espetáculo. Outra que adoro interpretar é Coisas da Vida. São tantas canções, que não tem como ter apenas uma favorita.

7-A peça é baseada no livro e nele fala de várias parcerias que Rita teve ao longo de sua carreira. Como essas parcerias serão representadas?
Como quem conta a história é a Bárbara Farniente,  vizinha da Rita que sempre viveu na sua sombra, então tem como se tivesse um filtro na história. As coisas são feitas pelo olhar dela, por isso alguns parceiros aparecem mais do que outros. A vida da Rita é entrelaçada a de outros artistas, parceiros como Roberto de Carvalho e Os Mutantes são inseridos na história de forma leve, tranquila e prazerosa. O público vai gostar do que vai ver.

8-Em algum momento você chegou a pensar em desistir do projeto?
Antes de começar fazer a peça, sim! Teve momentos em que eu achei que não iria conseguir fazer por conta de data e de trabalhos paralelos. Alguns momentos antes de começarem os ensaios, cheguei a falar que não ia ter como continuar o projeto. Eu estava gravando uma novela no Rio e iria começar uma peça em São Paulo. Como seria essa rotina? No início, fui levando, mas depois tornou-se algo impraticável e eu vi que precisava desistir de alguma coisa… Desisti da novela! Tomar essa decisão não foi fácil, não dava para fazer tudo ao mesmo tempo, então eu escolhi o que me dava mais vontade no momento, que era a peça, o meu projeto mais antigo e não me arrependo.

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

9-Como foi ganhar o prêmio de melhor atriz em musicais e ser indicada em outro pelo espetáculo?
Eu acho que o prêmio é muito legal. A pessoa rala muito para chegar ao palco e interpretar alguém. Para viver a Rita, precisei me despir de muitas coisas, precisei perder alguns medos, conquistar algumas coisas, precisei me modificar. Fiquei muito contente e satisfeita de receber esse prêmio. Significa que alguém reconheceu o meu esforço e gostou do resultado final.

10-Você tem preferência em algum tipo de arte? Televisão, teatro ou cinema?
Preferência eu não tenho, sabe? Eu gosto de fazer os três, porém, eu sou mais acostumada com o teatro. Estou vivenciando este gênero desde criança, tenho um costume maior de estar no palco, por isso acho que no momento é o que eu prefiro fazer.

11-Quais são os seus próximos planos de trabalho?
Eu estou em uma época de trabalhos intensos. Além do Rita Lee, eu estava encenando o espetáculo Luz Negra, que encerrou temporada há duas semanas. Além disso, passei quatro meses gravando uma novela. Era uma rotina muito cansativa. Por ora, estou só com o Rita Lee, que continua em cartaz no segundo semestre deste ano. Alguns projetos estão aparecendo, mas serão em paralelo com o musical. Por isso, serão bem pensados e escolhidos.

Author: Taís Machado

Share This Post On