A aprovação do vergonhoso aumento do fundo partidário

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

 

Pior a emenda que o soneto, a se lembrar do velho refrão popular. É o que aconteceu quando o ministro-chefe da Secom, Edinho Silva, transformado em porta-voz da Presidência, veio o publico justificar porque Dilma não vetou o aumento do Fundo Partidário de R$ 289,5 milhões para R$ 867,5 milhões, considerado um escárnio. Edinho foi mais longe e alegou que foi “um gesto de respeito ao Legislativo e de reconhecimento da autonomia dos poderes”. Nem como piada vale…..

Autor:: João Alberto

Compartilhe este post sobre