Dicas importantes na compra dos dólares

Dólar

Dólar

Com o dólar americano cada vez mais dependente das reações do mercado econômico e do cenário político mundial, quem tem viagem marcada até o fim do ano fica na dúvida sobre qual a melhor hora de comprar a moeda estrangeira e como fazer a compra. Para dar uma mãozinha aos viajantes, o especialista em câmbio Pedro Pragana, da Recife Câmbio, dá algumas dicas:

Pedro Pragana/Divulgação

Pedro Pragana/Divulgação

1 – Estimar os gastos

Quem vai viajar deve estimar o gasto diário que vai ter com alimentação, transporte, compras, entradas em parques ou shows, por exemplo. Isso é importante para que ele nem compre tão mais nem tão menos do que a quantidade de moeda que precisa. Neste caso, ainda é melhor que ele compre um pouco a mais porque pode guardar para a próxima viagem. Já se comprar a menos, terá que fazer a operação emergencial com a cotação do dia.

2 – Pesquisar cotação

Deve-se antes de efetuar a compra fazer cotação em pelo menos três casa de câmbio de sua confiança e que seja regularizada, além de observar as taxas que serão cobradas nas operações. E guarde o comprovante de compra para garantir sua segurança, afinal depois do escândalo do Banco do Brasil, é bom se resguardar ao máximo.

3 – Escolha da moeda

Claro que a escolha da moeda está diretamente ligada ao local para onde se vai viajar. Mas, muitas vezes compensa mais levar uma outra moeda que também seja aceita no país. É o caso de Buenos Aires, onde o dólar vale até onze vezes mais que a moeda local, então o viajante terá muito mais poder de compra com dólar do que com o peso argentino. Sem falar que em países como Peru, Argentina e Uruguai como o dólar é muito valorizado, costuma-se oferecer descontos ao turista caso ele vá efetuar o pagamento do táxi por exemplo na moeda americana.Então, para estes países, levar uma parte em dólar pode ser um bom negócio. Para os chamados lugares exóticos, como por exemplo a Tailândia, também é recomendável o uso do dólar por ser uma moeda universal.

4 – Comprar aos poucos

Quando o viajante se programa com antecedência, comprando um pouco cada mês, ele divide os riscos de perda com a variação da cotação da moeda. É um risco muito grande deixar pra comprar toda a moeda que vai usar no exterior de uma só vez poucos dias antes da viagem.

5 – Por segurança, também tenha cartão

Depois que o Governo Federal aumentou a taxa do IOF para 6,38% muita gente abandonou o uso do cartão recarregável em moeda estrangeira, passando a usar apenas o dinheiro em espécie. Mesmo com esse custo alto, recomenda-se que o viajante carregue parte do dinheiro em cartão pré-pago por uma questão de segurança. Ou que pelo menos ele leve o seu cartão de crédito internacional que pode socorrê-lo em caso de perda ou roubo do dinheiro em espécie.

 

Author: João Alberto

Share This Post On