Clima quente no ambiente político em Brasília

Eduardo Cunha -  Crédito: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

Eduardo Cunha – Crédito: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

Ainda bem que chegou o final de semana, para acalmar, pois o dia ontem foi “quentíssimo” nos bastidores políticos de Brasília. Começou com o indiciamento de Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, acusado de receber propina de R$ 16 milhões no processo do Lava Jato. Ele reagiu com cautela, mesmo fazendo crítica ao procurador-geral Rodrigo Janot, criticando a ausência de petistas e pessoas ligadas ao governo na primeira leva dos políticos acusados. Agora enfrenta desejo de vários colegas que querem seu afastamento da presidência da Câmara.

Já Fernando Collor de Mello também optou pela discrição, mas desde agora se espera duro combate, quando ele vai  participar da sbatina de Rodrigo Janot, que tenta novo mandato, na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, quarta-feira. Collor, que já acusou Janot, inclusive com palavrão, faz parte da comissão e já anunciou que estará presente Collor busca informações sobre processos que questionam a conduta de Janot, em tramitação no Senado e no Tribunal de Contas da União  Collor considerou que, ao encaminhar informações à Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Janot omitiu essas informações, negando a existência de processos contrários a ele.

 

Author: João Alberto

Share This Post On