Ser pernambucano é:

Pernambuco

Pernambuco

Poder dançar um frevo em Olinda e se orgulhar em dizer que é nosso;
Encher os olhos d’àgua com aquele sorriso no rosto e até se tremer de emoção só de falar do carnaval de Olinda…
Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado;
Poder ir ao Teatro de Amadores de Pernambuco, assistir Um Sábado em Trinta!
Ir ao Recife antigo e pode constatar todo aquele patrimônio arquitetônico;
Acreditar que Recife é mesmo a ‘Veneza Brasileira’;
Amar as pontes e Rio Capibaribe do Recife;
Jantar olhando para a lua incrivelmente cheia e linda nos bares e restaurantes na beira do rio Capibaribe ou da praia de Boa Viagem;
Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido e admirar Maurício de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele;
É sabermos da nossa importância na construção da história desse país, da nossa identidade cultural. Do nosso passado fundiário, dos nossos engenhos de açúcar ;
Dar mais importância ao Campeonato Pernambucano de Futebol do que qualquer Campeonato Nacional, pois futebol se restringe a rivalidades entre Náutico, Sport e Santa Cruz; Se você não sabe, pernambucano só torce por time de pernambuco;
Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca;
Ir prá Garanhuns, Triunfo, Gravatá… e se encher de casacos, luvas… independente do frio que esteja fazendo;
E em Petrolina, com seu aeroporto internacional, e as belas ilhas, e praias da água doce do rio São Francisco, e o bodódromo, e as maravilhosas frutas e degustar os vinhos lá produzidos…
e Jorge de Altinho: ‘e achava lindo quando a ponte levantava e o vapor passava no gostoso vai e vem, Petrolina!!!!…’
Ficar sempre dividido entre as belezas das Praias de Porto de Galinhas e de Calhetas;
Ouvir Alceu, Geraldinho Azevedo, Chico Science, Luiz Gonzaga, Lenine e outros tantos e poder dizer ‘São meus conterrâneos’ ;
Chamar Reginaldo Rossi de Rei Rossi (Roberto Carlos??? Sei la.. );
Achar que José Pimentel é a cara do Cristo;
Ir pra o teatro assistir ‘Cinderela’ com Jason Wallace e se identificar com o sotaque e as gírias usadas no espetáculo;
Frequentar a praia de Boa Viagem em frente ao Acaiaca;
Tomar um banho no mar de Boa Viagem mesmo com placas de advertência de tubarão em todos os lugares;
E ir à Praia de Boa Viagem e tomar um ‘Caldinho Ele e Ela’ p/ curar ressaca, gripe e dor de corno;
Adorar bolo-de-rolo e suco de pitanga;
Saber a delícia que é um bolo de bacia com caldo de cana;
Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída;
Tomar um caldo de cana no centro da cidade
Tomar café da manhã (macaxeira com charque) no Mercado da Madalena depois da noitada;
Nunca usar artigo na frente de nome próprio: nada de A Maria, ou O Recife….
Saber o significado das palavras ‘pirangueiro’, ‘pantim’, ‘mangar’, ‘oitão’, ‘atacar’ (abotoar), ‘lascou’ ‘pitoco’. . .
Chamar Paínho e Maínha p/ visitar Voínho e Voínha;
Falar visse no final de cada frase;

Author: João Alberto

Share This Post On