Quais as suas memórias de infância?

O mês de outubro tem um quê de nostalgia. Enquanto curtimos as crianças da família – filhos, primos, irmãos, sobrinhos – também lembramos da nossa infância: da espera ansiosa pelos presentes que chegariam no 12 de outubro e um infinito de particularidades e recordações que cada um tem de quando a vida tinha som de brincadeira. Para mergulharmos ainda mais nestas lembranças, convidamos leitores de faixas etárias distintas para falar das principais memórias desta época. A primeira delas é Bianca Spessirits, advogada, 37 anos, casada, mãe de Vivi, de 3, e boadrasta de dois garotas. De quebra, é blogueira que assina o “Não é a mamãe”, com mais de 76 mil seguidores nas redes sociais.

Crédito: Arquivo pessoal

Crédito: Arquivo pessoal

Filha de pai poeta, sociólogo, téologo e filósofo, gostava de coisas clássicas e, digamos, “cabeça”, como tocar piano e brincar com um minilaboratório de química. Só não podia parar no castigo. Chegou a ir para a varanda gritar por socorro e até a ligar para o SOS Criança. Confira as lembranças de Bianca e veja se alguma delas combina com as suas:

Crédito: Arquivo pessoal

Crédito: Arquivo pessoal

Brincadeiras – Gravar músicas (fitas com música de LPs ou comigo mesma cantando), desenhar, pintar, tocar piano, fazer experiências com um minilaboratório de química, montar quebra-cabeças. Detalhe: isto é motivo de piada aqui em casa, porque meu marido diz que se estas foram minhas brincadeiras, não tive infância. Claro que discordo! A criança é reflexo da família e dos estímulos que recebe. Sou filha de intelectuais… Meu pai é poeta, sociólogo, teólogo e filósofo. Minha mãe, embora mais careta, seguia a mesma vibe. Neste contexto, não tinha como ser diferente, né?

Crédito: Reprodução internet

Crédito: Reprodução internet

Músicas preferidas – “Os Saltimbancos” e “A Arca de Noé” eram meus discos preferidos. Andaram meio esquecidos, mas voltaram com tudo quando minha filha nasceu. Hoje cantamos juntas “A história de uma gata”, dentre outras músicas que me marcaram profundamente, e vou confessar: quase sempre me emociono.

Crédito: Reprodução internet

Crédito: Reprodução internet

Comidas favoritas – Comia muito ovo mexido com catchup, farinha de tapioca com leite condensado, queijo coalho cortado quadradinho… Dei muito trabalho pra comer, viu?

Crédito: Arquivo pessoal / Divulgação

Crédito: Arquivo pessoal / Divulgação

Author: Tatiana Sotero

Share This Post On