“É algo histórico pra mim”, declara Johnny Hooker sobre participação na abertura do Carnaval

seloCarnaval2

Um dos nomes que está despontando na música brasileira, o pernambucano Johnny Hooker se destaca pela sua excentricidade. Sua música pop já foi reconhecida com prêmios como o de melhor cantor de canção popular no 26º Prêmio da Música Brasileira no ano passado. Johnny será um dos convidados do Maestro Forró na abertura do Carnaval do Recife no próximo dia 5 de fevereiro e também é uma das atrações principais do tradicional Guaiamum Treloso. Em entrevista ao Blog João Alberto ele falou de suas inspirações, do início da carreira e dos planos para um DVD e um novo álbum. Confira:

Johnny Hooker. Crédito: Erica Colaço/Divulgação

Johnny Hooker.
Crédito: Erica Colaço/Divulgação

– Você tem mais de 10 anos de estrada. Enfrentou dificuldades até conseguir chegar a essa posição que ocupa atualmente na música brasileira?

Foi realmente uma jornada árdua. Muitas portas foram fechadas por ser nordestino, por ser gay. De alguma forma tentam aprisionar você nos mais estranhos rótulos, quando o que eu faço é apenas música pop. Mas digo que a música no fim das contas abriu todas elas. Um trabalho feito com toda a entrega e amor do mundo, que foi aos poucos abrindo, pedindo licença e entrando no coração das pessoas.

– Seu show e suas performances são muito originais, mas muitos ressaltam a semelhança entre o seu estilo e o de Ney Matogrosso. Ele é uma inspiração para você de alguma forma?

Ney é uma figura icônica, uma lenda da música brasileira. Amo e tenho um profundo respeito pelo trabalho dele. Mas não, ele nunca foi inspiração para meu trabalho. A performance vem muito mais, e especialmente, de figuras como David Bowie.

Johnny Hooker. Crédito: Divulgação do artista

Johnny Hooker.
Crédito: Divulgação do artista

– Algum artista te influenciou musicalmente a construir esse seu estilo? E em questão de performance e estética? Se inspira em alguém específico?

Madonna, Bowie e Caetano são uma espécie de tríade sagrada de artistas nos quais me inspirei.

– Suas músicas falam muito de traição, amor, paixão, desilusão… Você as compõe baseado em experiências suas ou incorpora sentimentos coletivos na hora de escrevê-las?

As músicas são uma colagem de coisas que vivi diretamente e indiretamente. Através de amigos, ou até livros, ou filmes. A linha entre o que é ficção e o que é vivência real é indistinguível.

– Suas letras também têm muito do regional. Como é se apresentar em um período tão especial e marcante que é o Carnaval do Recife? A pressão para ser um show memorável é maior?

Todos os shows dessa turnê tem sido memoráveis. O comprometimento é sempre com o público e não com esse ou tal evento. Onde tiverem pessoas querendo ouvir minhas músicas eu vou estar, com a mesma entrega e energia de cada uma das vezes.

Johnny Hooker. Crédito: Divulgação do artista

Johnny Hooker.
Crédito: Divulgação do artista

– Entre seus shows na cidade, durante o período carnavalesco, estão a abertura do Carnaval da cidade e o bloco Guaiamum Treloso. O Johnny Hooker que vai subir nesses palcos vai ser diferente de uma apresentação para a outra? Está preparando algo especial para o show da abertura?

Como disse, é sempre o mesmo. A entrega e a energia investidas são sempre as mesmas. É como quando você é um ator. Você lê o roteiro, ensaia e na hora de apresentar você tem que dar tudo de si. Concentração total para o momento da entrega. É uma honra muito grande ter sido convidado pelo Maestro Forró para abrir o carnaval da minha cidade junto com ele. É algo histórico pra mim.

– Seu figurino sempre chama atenção durante as apresentações. Está preparando algo especial para o Carnaval ou vai manter a linha das outras apresentações da turnê deste álbum?

Terá surpresa, mas é segredo.

Johnny Hooker. Crédito: Divulgação do artista

Johnny Hooker.
Crédito: Divulgação do artista

– Recentemente, você anunciou que vai gravar seu primeiro DVD aqui no Recife, já em abril deste ano. Como estão os preparativos? Algo que possa adiantar ao Blog João Alberto?

Estamos fechando equipe e local ainda. Mas posso adiantar que essa será talvez a última oportunidade que o público recifense terá de ver esse show dessa turnê, desse disco. Depois entrarei em estúdio para preparar o próximo disco.

– Apesar de já estar com o projeto do DVD em andamento, já pensa em um novo álbum? Está compondo novas músicas ou está completamente focado no “Eu Vou Fazer uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito!”?

Já tenho parte do material do próximo disco em fase pré, como se fosse um esboço. Nos próximos meses tudo vai tomar forma, se os deuses quiserem!

Leia aqui mais notícias do Carnaval 2016.

Author: Beatriz Pires

Share This Post On