Lenine foi o destaque dos shows no Marco Zero no Sábado de Zé Pereira

selo carnaval governo

Público encheu o Marco Zero na noite do Sábado de Zé Pereira. Crédito: Peu Ricardo/PCR/Divulgação

Público encheu o Marco Zero na noite do Sábado de Zé Pereira.
Crédito: Peu Ricardo/PCR/Divulgação

Com informações do Portal Diario de Pernambuco

Ontem foi o segundo dia de shows do Carnaval 2016 no palco do Marco Zero. A grande atração do Sábado de Zé Pereira, o Galo da Madrugada, fez o Recife Antigo ficar um pouco mais tranquilo durante a noite. No palco, uma programação dedicada exclusivamente a atrações pernambucanas. O cantor Lenine, que não participou do Carnaval no ano passado, foi a grande atração da noite.

Abertura da noite com o Maestro Duda. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Abertura da noite com o Maestro Duda.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Quem abriu os trabalhos, por volta das 20h40, foi o Maestro Duda acompanhado de uma orquestra. Tocou canções em homenagem a vários artistas locais, incluindo Maestro Forró. Silvério Pessoa entrou logo depois, por volta das 22h. Silvério privilegiou o frevo em seus arranjos e seu show contou com três participações: do cantor Almério, que venceu o concurso popular Natura Musical 2015, a cantora e bailarina Flaira Ferro e o cantor e compositor Lula Queiroga.

Flayra Ferro, Silvério Pessoa e Almério. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Flayra Ferro, Silvério Pessoa e Almério.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Silvério Pessoa. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Silvério Pessoa.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Já o show de Nena Queiroga foi marcado pelo repertório eclético. As canções entoadas foram de Tente outra vez, de Raul Seixas, até Arerê, da Banda Eva. A cantora, claro, não deixou os cinquenta anos do nascimento de Chico Science passarem em branco: cantou A praieira e Maracatu atômico, acompanhada em coro pelos presentes.

Nena Queiroga. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Nena Queiroga.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Quando a grande atração da noite subiu ao palco já era perto de 1h da manhã, mas o público pareceu nem notar, já que lotava o Marco Zero. Lenine entrou parecendo estar decidido a matar a saudade do Carnaval pernambucano. No total, cantou 20 músicas: sete do seu novo álbum “Carbono” e o restante de sucessos seus já consagrados.

Lenine. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Lenine.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Lenine. Crédito: Clélio Tomaz/PCR/Divulgação

Lenine.
Crédito: Clélio Tomaz/PCR/Divulgação

Durante o show, dedicou um momento à versão acústica de Hoje eu quero sair só, que não estava no repertório da apresentação. O mesmo aconteceu com Paciência e Leão do Norte, em momentos que levantaram o público. Para encerrar a apresentação, o cantor Lula Queiroga voltou ao palco para cantar Alzira e a torre. Almir Rouche foi o escalado para encerrar a noite de festa e já subiu ao palco por volta das 2h30. Cantou desde músicas mais lentas, até frevos rasgados que animaram os que ainda resistiam.

Lenine. Crédito: Allan Torres/Divulgação

Lenine.
Crédito: Allan Torres/Divulgação

Almir Rouche. Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Almir Rouche.
Crédito: Wagner Ramos/PCR/Divulgação

Leia aqui mais notícias do Carnaval 2016.

Autor:: Beatriz Pires

Compartilhe este post sobre