Carvalheira na Ladeira encerra o carnaval com chave de ouro

selo carnaval governo

Por Júlia Schiaffarino

Sambô. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Sambô.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Eram 22h e os Djs do Baile do Zeh Pretinho ainda animavam a última noite do Carvalheira na Ladeira. De longe foi o dia mais concorrido e quem se programou para curtir a festa no mais alto padrão, não teve do que se arrepender. O encerramento com a galera de uma das festas mais concorridas do Rio de Janeiro, porém, foi apenas mais uma atração do dia que contou ainda com Latino, Sambô e Alceu Valença.

Alceu Valença. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Alceu Valença.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

O início da tarde foi com muito frevo e Alceu subiu ao palco puxando o clássico Vassourinhas e emendou com uma de suas músicas mais conhecidas, Diabo Louro. Bem humorado, cantou ainda Vampira e Me Segura Se Não Eu Caio. No meio da plateia teve orquestra de frevo e bonecos gigantes.

Latino. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Latino.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Germana Carvalheira e Germana Barbosa. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Germana Carvalheira e Germana Barbosa.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Tudo para que as ladeiras de 2016 deixassem saudade na galera. Aliás, o Carvalheira deste ano inovou e o que já era Vip ficou ainda mais. Os produtores cederam espaço e onde antes
era o camarote dos badalados seleto, este ano converteu-se em um lounge com acesso liberado e o público pode subir para ver o show de frente e do alto. O camarote ficou do lado direito e nova arquitetura permitiu mais espaço para transitar. Espaço,
aliás, que foi pouco nesta terça-feira, já que o Carvalheira na Ladeira estava lotado.

Kadu Dantas e Raphael Rocha. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Kadu Dantas e Raphael Rocha.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Mendonça Filho e Taciana Mendonça. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Mendonça Filho e Taciana Mendonça.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

O Sambô subiu ao palco por volta das 15h puxando sucessos como Não deixe o samba morrer, a banda entrou conquistando os presentes e mandando suas versões dos hits pops internacionais, como Uptown Funk, de Bruno Mars; Love, da banda Maroon 5; e Rude, do Magic.

Kadu Dantas e Camila Coutinho. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Kadu Dantas e Camila Coutinho.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Jorge Peixoto e Bruna Monteiro. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Jorge Peixoto e Bruna Monteiro.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Bruna Monteiro. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Bruna Monteiro.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Teve espaço ainda para Exalta Samba e Djavan. Em seguida, Latino animou o público e quase que não se despedia do Carvalheira. Foram mais de duas horas de um show que teve,
além dos já conhecido hits como Cia Cachaça, forró e outras variações que não deixaram ninguém ficar parado.

Renata Barroca. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Renata Barroca.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Duda Dubeux. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Duda Dubeux.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

André e Virginia Campos. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

André e Virginia Campos.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Talitha Araújo. Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Talitha Araújo.
Crédito: Vinícius Ramos/Divulgação

Na boate climatizada, os DJs Korossy e Doubleminds agitavam ao som de músicas eletrônicas e o bom funk ao qual não há quem resista. Bang, de Anitta; Beijinho no Ombro de Valeska; e Baile de Favela, do MC João foram algumas das escolhidas.

Autor:: Tatiana Sotero

Compartilhe este post sobre