Duas decisões sentatas do ministro Celso de Mello

O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, que tem uma atuação corretíssima, sempre longe dos holofotes como fazem alguns dos seus colegas, arquivou dois recursos, simplesmente absurdos, envolvendo o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Uma das ações, apresentada pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), buscava impedir que o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) votasse no procedimento que pode levar à derrubada de Dilma do poder.

Em outro recurso, militantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), braço sindical petista, apresentou pedido de habeas corpus para garantir que eles fossem autorizados a entrar na Câmara e ocupar as galerias do plenário da Câmara no dia da votação. Dá para imaginar a bagunça que fariam.

Author: João Alberto

Share This Post On