Waldir Maranhão revoga seu próprio e absurdo ato

Depois de provocar um tumulto no país ao assinar ato anulando as reuniões da Câmara dos Deputados, que aprovou o início do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, de receber a reprovação da maioria dos deputados (menos é claro os governistas, que estavam ao seu lado quando anunciou entrevista coletiva e apenas falou claramente nervoso, cercado de líderes da oposição, o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, assinou na noite de ontem, a revogação do seu ato. Comprovando que tinha sido uma brincadeira com a democracia, como disse Renan Calheiros ao não aceitar o absurdo ato, que queria a suspensão do processo em curso no Senado.

Crédito: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Crédito: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Depois de ter sido claro que seu ato inicial foi feito depois de reuniões com o Advogado Geral da União, José Eduardo Cardoso, que deve ter redigido o documento, pois falta a Waldir Maranhão conhecimentos jurídicos e ele simplesmente não consultou o setor jurídico da Câmara, totalmente contra a medida, comemorada em clima de carnaval em mais um evento político dentro do Palácio do Planalto.

E não escondeu a motivação do absurdo ato, ao ir passar o final de semana em São Luiz, reunido com o governador  Flávio Dino, que mesmo sendo do PCdoB é o maior defensor de Dilma entre os governadores do pais.

Pessoas ligadas a ele revelam que ele tomou a decisão de revogar sozinho, mesmo diante de pressão de governistas que não queriam isto, por duas razões: hoje, está convocada reunião do plenário da Câmara dos Deputados, que iria revogar a medida. E mais, agora vai para o Conselho de Ética, os muitos processos em que está envolvido estão sendo revelado e dificilmente ele escapará de ser expulso do PP.

Ou seja não poderia ter entrado em fria maior…..

Autor:: João Alberto

Compartilhe este post sobre