O silêncio da primeira-dama

Marcela Temer/Divulgação

Marcela Temer/Divulgação

Entidades ligadas à defesa dos direitos das mulheres, que estão em campo em todo o Brasil, alertando para o estupro que são vítimas, estão reclamando que a primeira-dama do governo provisório, Marcela Temer, também deveria ter dado sua opinião no caso da moça atacada por 33 homens, no Rio de Janeiro. O presidente em exercício Michel é contra: acha que, por enquanto, sua mulher deve permanecer no lar. O que não chega a ser novidade: em oito anos de Lula, Marisa Letícia jamais abriu a boca.

Autor:: João Alberto

Compartilhe este post sobre