“Aquarius” recebe classificação indicativa de 18 anos do Ministério da Justiça

Maeve Jinkings, Kleber Mendonça Filho e Sônia Braga na pré-estreia de "Aquarius" no Recife - Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação

Maeve Jinkings, Kleber Mendonça Filho e Sônia Braga na pré-estreia de “Aquarius” no Recife – Crédito: Gleyson Ramos/Divulgação

Com estreia marcada para o dia 1º de setembro, Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, ganhou classificação indicativa de 18 anos. A classificação é feita pelo Ministério da Justiça que justificou a decisão pelo filme mostrar “sexo explícito” e “drogas”. A decisão foi divulgada no diário oficial dessa segunda-feira. A Vitrine Filmes, distribuidora do longa, entrou com recurso para que a classificação fosse para 16 anos, mas o pedido foi negado.

Aquarius - Crédito: Reprodução/Twitter

“Aquarius” – Crédito: Reprodução/Twitter

O filme apresenta três cenas de sexo, entre elas, duas com nu frontal, com imagens que duram menos de 30 segundos. Os personagens não aparecem utilizando drogas explicitamente, apenas uma alusão à maconha com um cigarro artesanal.

Segundo o Ministério da Justiça, filmes que apresentem “relação sexual explícita, de qualquer natureza, inclusive masturbação, com reações realistas dos personagens participantes do ato sexual, com visualização dos órgãos sexuais.” não podem ser recomendados para menores de idade. O filme tem ainda uma cena de sexo grupal, enquadrada no o ministério classifica como “situações sexuais complexas”.

Equipe de Aquarius em Cannes - Crédito: Reprodução/Twitter

Equipe de Aquarius em Cannes – Crédito: Reprodução/Twitter

A classificação indicativa de Aquarius tem repercutido na imprensa nacional e internacional. Alguns comentários chegam a especular que se trate de uma perseguição feita pelo governo, já que a equipe do filme protestou contra o impeachment da presidenta Dilma em Cannes. Com cartazes, eles denunciaram que o Brasil estava sofrendo um golpe.

Compartilhe este post sobre