Creche também é lugar pra cachorro

Hora da piscina na creche - Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Hora da piscina na creche – Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Já ouviu falar em creche para cachorro? A novidade, já disseminada no eixo Rio-São Paulo, chegou ao Recife e tem se tornado um dos serviços mais procurados pelos donos de animais de estimação, que chegam a desembolsar valores entre R$70 e R$930 por mês. A creche  é quase uma escola e funciona como uma solução para pessoas que trabalham o dia todo e ficam preocupadas com o cão sozinho em casa ou para aqueles que sentem dificuldades na adaptação do melhor amigo.

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

As empresárias Krishna Chuang, de 28 anos, e Charlene Castro, de 29, montaram o Espaço IT Pet, no Parnamirim, para atender a essas necessidades.  Diariamente, recebem cerca de 20 cães de pequeno e médio porte em uma área de aproximadamente 500m², incluindo espaço coberto, área verde com playground, brinquedos específicos para os pets e até piscina. Diferente dos famosos hoteizinhos para cachorro – quando os animais passam alguns dias hospedados e dormem no local – a creche segue uma rotina diária,  com horário fixo de entrada e saída (segunda a sexta: 7h às 19h e sábado: 7h às 17h). Os cães correm, pulam, latem, descem pelo escorregador. Animadíssimos. Foi assim que os encontramos assim que chegamos ao espaço. No meio da “farra”, tem até quem se arrisque a pular na piscina para se refrescar ou fazer bagunça com os amiguinhos. No fim da tarde, acredita que eles têm direito à sessão de massagem e musicoterapia?

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

As empresárias Krishna Chuang e Charlene Castro, empresárias à frente do It Pet – Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Durante todo o dia na creche, os cães  são motivados a gastar energia curtindo uma programação dividida entre atividades de enriquecimento ambiental, condicionamento físico, brincadeiras, refeições e descanso, acompanhadas de monitores e treinadores. Mas, nem todos os cães são adeptos à creche. Para o animal ser aceito, é preciso passar por uma série de requisitos de  avaliação veterinária e comportamental durante 40 minutos no Espaço It Pet.

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

A vacinação precisa estar em dia, os machos precisam ser castrados e as fêmeas não podem frequentar a creche no período do cio.  A alimentação fica por conta do dono para garantir que o pet mantenha a sua rotina com a porção diária da ração que ele já está acostumado. Antes de irem para casa, todos escovam os dentes e são limpos com produtos a seco.

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

“O ideal para o cão é deixá-lo sempre adaptado com creches regulares. Em um momento de necessidade, quando o tutor precisar deixá-lo em um hotel, ele já estará adaptado ao ambiente e às pessoas”, disse Krishna. O espaço também conta com serviço de hotel. De acordo com as sócias, os perfis de donos que mais procuram o serviço são médicos, que costumam dar plantões extensos em hospitais.

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Dos 20 cachorros que frequentam a creche do IT Pet, leia-se Ossudo, Oreo, Puma, Samantha e Mick, a maioria já está acostumada com a rotina do espaço e estão por lá pelo menos três vezes por semana. “Tem gente que deixa o cachorro aqui somente para ele aprender a socializar com outros animais. E tem um fator muito importante: eles circulam totalmente livres em tempo integral, não possuímos gaiolas, baias ou canis”, acrescentou Krishna.

Crédito: Ricardo Fernandes/DPc

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Crédito: Ricardo Fernandes/DP

Na volta para casa, tem cãozinho que até dorme durante o percurso de tão cansado que fica. “É bom tanto para o dono, quanto para o cachorro”, acrescentou Charlene. Para os mais animadinhos, Charlene e Krishna fazem até eventos extras como aniversários, com direito a bolo e buffet especial para os cãezinhos. “Uma festinha para cerca de 20 ‘cãevidados’ custa a partir de R$1,5 mil”.

Crédito: Reprodução do instagram

Crédito: Reprodução do Instagram

Crédito: Reprodução do instagram

Crédito: Reprodução do Instagram

Apesar do período de crise econômica no Brasil, o segmento voltado às atividades ligadas aos animais de estimação resiste e só tende a crescer. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de cachorros (52,2 milhões) já ultrapassou o de crianças (44,9 milhões). De acordo com a pesquisa  realizada em 2013, existem 132,4 milhões de pets no Brasil.  Uma pesquisa encomendada pela empresa PetSaúde revelou que no Grande Recife, o número chega a 1,2 milhão de cães e gatos domésticos, sendo 15% pertencentes à classe A, 30% à classe B e 55% às classes C e D.

Confira o vídeo:

Salvar

Salvar

Autor:: Thayse Boldrini

Compartilhe este post sobre