Dinho Batista estreia como estilista com coleção feita em tressê de cetim e gorgurão

SELO SPFW 2017

A repórter viajou a convite do SPFW | Cobertura tem apoio da Vert Rouge Sophistiqué

Dinho Batista - Crédito: Thayse Boldrini/DP

Dinho Batista – Crédito: Thayse Boldrini/DP

São Paulo: Prestes a estrear como estilista na passarela do São Paulo Fashion Week com uma coleção pret-a-porter rica em alfaiataria, baseada em uma técnica de tressê em fitas de cetim e gorgurão, o recifense Dinho Batista revela que não está ansioso para a apresentação marcada para esta quinta-feira, às 17h, e nos recebeu hoje para antecipar alguns detalhes da coleção.

A Maison Alexandrine, comandada por Alexandra Fructuoso, funciona há cinco meses em um casarão no Jardim Paulista, bastante luxuoso. A grife é conhecida por seus vestidos cheios de glamour e rico em detalhes bordados à mão. Para o desfile, a Alexandrine faz um début no universo do pret-a-porter, missão dada pela empresária a Dinho (eles são amigos há 10 anos), que desde setembro do ano passado desenvolve a coleção batizada de Tressê com ajuda de uma equipe formada por quase 40 pessoas, incluindo alfaiates e costureiras.

Dinho Batista assina a sua primeira coleção no SPFW - Crédito: Thayse Boldrini/DP

Dinho Batista assina a sua primeira coleção no SPFW – Crédito: Thayse Boldrini/DP

Ao todo, o recifense assina 29 looks, incluindo calças, casacos, vestidos, saias e coletes com corte masculino. Todas as peças levam nomes de mulheres que o inspira, como a top Emanuela de Paula, Isabeli Fontana e familiares, a mãe, a irmã e a tia. Para a cartela de cores, Dinho escolheu cores sóbrias, que variam entre o off white, preto e verde oliva. Parte da coleção estará disponível para venda logo após o desfile, seguindo o conceito see now, buy now, e seguem para o showroom da marca em Dubai e Los Angeles.

Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Thayse Boldrini/DP

Ainda na tarde desta quarta-feira, os looks estavam passando por ajustes e modelos como Fernanda Tavares, Cintia Dicker e Emanuela de Paula faziam a última prova de roupas. O maquiador Rodrigo Costa vai assinar a beleza do desfile com um toque bem clean, quase nada de maquiagem e um cabelo bem chapado. Na fila A, Dinho convidou Isabeli Fontana e jornalistas do Brasil inteiro. A top Michelle Alves é uma das presenças mais aguardadas no catwalk. Ela veio direto de Los Angeles, onde mora, para fotografar a campanha da maison  e desfilar para o amigo recifense.

O tressê de cetim faz toda a diferença nos looks - Crédito: Thayse Boldrini/DP

O tressê de cetim faz toda a diferença nos looks – Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Thayse Boldrini/DP

A história de Dinho com a moda começou em agosto de 1999, quando saiu do Recife para morar em São Paulo à contragosto dos pais, que sonhavam que ele fizesse faculdade na área de saúde. Ele, no entanto, escolheu a moda, começou a estudar, mas teve que interromper por falta de recursos financeiros. Dinho até chegou a desenvolver uma coleção inspirada na mulher nordestina com a técnica de tressê e apresentá-la em evento no Recife, mas a sua estreia oficial acontecerá mesmo nesta temporada do São Paulo Fashion Week. Dinho fala com o maior orgulho da técnica que criou e explica que todo o tressê com as fitas de cetim e gorgurão na alfaiataria, são feitas à mão e seguem para uma prensa em 190 graus, para então o alfaiate fazer o acabamento. “É um trabalho prazeroso de fazer e exige muita técnica e atenção, mas fica lindo”, finaliza o estilista.

Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Thayse Boldrini/DP

 

Author: Thayse Boldrini

Share This Post On