Festival de luxo nas Bahamas se transforma na “fraude do ano”

Imagem usada na divulgação do Fyre Festival - Crédito: Reprodução/Instagram

Imagem usada na divulgação do Fyre Festival – Crédito: Reprodução/Instagram

O Fyre Festival estava programado para ser um festival de música de luxo em uma ilha particular nas Bahamas, neste fim de semana. Os produtores do evento, que incluía o rapper Ja Rule, prometeram uma experiência exclusiva com tendas e quartos com ar-condicionado, buffet assinado pelo chef Steven Starr, festas em iates e a presença de várias topmodels. No line-up, estavam nomes como Disclosure, Blink 182 e Major Lazer. O festival aconteceria em dois finais de semana.

A divulgação do Fyre Festival contava com modelos como Bella Hadid - Crédito: Divulgação/Fyre Festival

A divulgação do Fyre Festival contava com modelos como Bella Hadid – Crédito: Divulgação/Fyre Festival

Mas, o festival, com ingressos que variavam de US$2.000 a US$12.000, se tornou um desastre. Quando os participantes começaram a chegar ao local, na quinta-feira, se depararam com um cenário muito diferente do que foi promovido. As acomodações de luxo na verdade eram tendas usadas em campos de refugiados, havia montanhas de lixo pelo local, não havia funcionários para atender os presentes ou onde guardar as malas. O buffet gourmet se resumia a torradas, queijo e salada. Segundo o Buzzfeed, o contrato com o chef tinha sido cancelado no início do mês.

No Twitter, os participantes do Fyre também relataram falta de água, roubos e confusão com os moradores do local. Um usuário da rede tentou se comunicar com a embaixada dos Estados Unidos, dizendo que toda sua bagagem havia sido roubada, incluindo o passaporte e carteira. Outros disseram que o local parecia uma cena de Jogos Vorazes, com as pessoas correndo para pegar as tendas e comida que podiam.

A estrutura do festival não estava montada quando o público chegou - Crédito: Reprodução/Twitter

A estrutura do festival não estava montada quando o público chegou – Crédito: Reprodução/Twitter

Na sexta-feira, que deveria ser o primeiro dia do Fyre, os voos que iriam para a ilha de Exuma começaram a ser cancelados no aeroporto por conta da confusão, e muitas pessoas passaram horas presas nos aviões, tanto em Miami quanto nas Bahamas. Apenas algumas horas após o caos instalado, a produção do evento se manifestou dizendo que o festival estava cancelado. Na nota, eles dizem que “não estavam preparados” para o tamanho que o festival tomou e que “devido a circunstâncias alheias, a infraestrutura não estava pronta a tempo”.

Crédito: Reprodução/Twitter

Crédito: Reprodução/Twitter

O Governo das Bahamas também emitiu uma nota dizendo que não tinha parceria com o festival e que estava “extremamente desapontado” com a organização. O comunicado diz que os visitantes “encontraram total desorganização e caos” e que “claramente os produtores não tinham capacidade de executar um evento desse porte”.

As acomodações eram tendas usadas para refugiados - Crédito: Reprodução/Twitter

As acomodações eram tendas usadas para refugiados – Crédito: Reprodução/Twitter

A organização disse que irá fazer uma nova edição do festival, no ano que vem, desta vez nos Estados Unidos. E que irão “contratar pessoas mais experientes”. Eles também afirmam que o público que adquiriu os ingressos para a edição fracassada das Bahamas serão reembolsados e vão ganhar entradas VIP para o próximo ano.

Compartilhe este post sobre