Produção do Cine PE anuncia a suspensão do festival

O festival Cine PE teve a suspensão da sua 21ª edição anunciada nesta quinta-feira, pelos organizadores da mostra. O evento estava marcado para acontecer no Cinema São Luiz, no Centro do Recife, entre os dias 23 e 29 de maio. A nova data ainda não foi divulgada.

Público do Cine PE. Crédito: Mariana Guerra/Divulgação

Público do Cine PE. Crédito: Mariana Guerra/Divulgação

Em nota oficial, a diretora do Cine PE Sandra Maria Ramos Bertini Bandeira explicou ao público os motivos para tal decisão, começando o texto com a seguinte satisfação: “A Direção do Cine PE, em função das manifestações contrárias à programação do evento, que proporcionaram a retirada de alguns dos filmes selecionados, dirige-se ao público em geral, para esclarecer os pontos e comunicar as seguintes decisões“.

Nessa quarta-feira, sete cineastas que participariam da mostra publicaram uma carta aberta acusando divergências ideológicas com a curadoria do festival, não concordando com a inclusão de alguns dos filmes selecionados. Segundo a carta, eles “favorecem um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016“.

Confira na íntegra a nota que justifica a suspensão da edição do Cine PE:

“Cine PE 2017
Nota Oficial

A Direção do Cine PE, em função das manifestações contrárias à programação do evento, que proporcionaram a retirada de alguns dos filmes selecionados, dirige-se ao público em geral, para esclarecer os pontos e comunicar as seguintes decisões:

1. Que ao longo de 20 anos de realizações, que tornaram o Festival uma das referências nacionais do setor, todas suas programações, indistintamente, foram pautadas pelo respeito aos valores básicos da liberdade, quais sejam o direito de expressão, o respeito à pluralidade e o combate ao instrumento da censura;

2. Que, por isso mesmo, jamais houve quaisquer formas de politização das programações, pois uma simples pesquisa sobre as edições passadas, facilmente será revelado que o Festival sempre se pautou em mostrar tendências, linguagens, estéticas e ideologias, da forma mais coerente possível, por entender e evidenciar que o conceito da diversidade dever ser de todos e para todos;

3. Que apesar dessas manifestações se colocarem em tempo impróprio da pré-produção do evento, posto que a surpresa por essa represália, evidentemente, proporcionou um ônus fora do planejamento, torna-se cabível, pelo verdadeiro princípio democrático, respeitar-se as decisões tomadas;

4. Que essa situação implica na substituição dos títulos por outros que também fizeram suas inscrições de modo espontâneo, que estejam em ordem classificatória da Curadoria e que ainda se revelem dispostos a entenderem os valores que são a essência de quem faz arte e cultura – a liberdade de produzir e o sentimento de consideração pelas obras realizadas, na maioria das vezes, com enormes esforços;

5. Que essa adequação da situação à nova grade de programação, por razões técnicas e burocráticas, demanda por um tempo superior ao prazo do período de realização agendado, de tal modo que, pelo dever da prudência que sempre inspirou o Festival, será necessária postergar a execução do evento, cuja nova data será divulgada oportunamente;

6. Que, por fim, destacamos e enaltecemos o papel da Curadoria, a quem foi confiada a árdua missão do processo seletivo dos filmes, justo por ela reconhecer a importância do respeito à pluralidade, desde a criação à difusão, enquanto princípio basilar a ser perseguido, irrevogável e indistintamente, quaisquer que sejam os produtos artístico-culturais.

Recife, 11 de maio de 2017.
Sandra Maria Ramos Bertini Bandeira
Diretora do Cine PE”

Autor:: Júlia Molinari

Compartilhe este post sobre

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*