Um ex-procurador do Ministério Público sob suspeita

Wesley e Joesly Batista/Divulgação

Wesley e Joesly Batista/Divulgação

Ministros do Supremo Tribunal Federal comentam, nos bastidores, a preocupação com o acordo que liberou totalmente Joesly e Wesley Batista, da JBS, depois da delação premiada. E citam o fato de Marcello Miller, que era procurador do Ministério Público Federal, ter deixado o órgão, sem cumprir a quarentena para atuar no escritório de advocacia que negociou o acordo de leniência com o MPF.

Autor:: João Alberto

Compartilhe este post sobre