Morro de São Paulo: Águas cristalinas e cinco praias destinadas a públicos distintos

A repórter viajou a convite do município de Cairu

Praia de Morro de São Paulo fica localizada na Ilha de Tinharé, no município de Cairu, a 308km de Salvador – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Morro de São Paulo: Praias de águas calmas e cristalinas, areias brancas e vastos coqueirais chamam atenção em Morro de São Paulo, localizada na Ilha de Tinharé, terceiro maior pólo turístico da Bahia, situado ao sul de Salvador, no único município arquipélago do Brasil dentro do conjunto de 26 ilhas da cidade de Cairu. É preciso saber que chegar em Morro de São Paulo não é tarefa fácil, mas vale a pena todo esforço. São três opções para quem gosta de aventura ou comodidade. Se for de carro, a melhor escolha é utilizar o sistema ferry-boat “Salvador – Bom Despacho”, na Ilha de Itaparica, de onde é possível seguir pela rodovia BA-001, passando por Nazaré das Farinhas, até a cidade de Valença, por 105 km. Chegando a Valença existem barcos e lanchas rápidas que saem a cada uma hora. O trajeto pode durar de 30min a 1h30 mim.

Morro de São Paulo – a vista da tirolesa – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Outra opção é seguir de Salvador direto para Morro, por via marítima. Em frente ao Mercado Modelo, saem vários catamarãs e dura em média 2h30 (não recomendado para quem enjoa muito). A opção mais procurada entre os turistas, sem dúvidas, é o trajeto semi terrestre, ou seja, metade por mar, metade por terra. A viagem dura cerca de 3h, com três baldeações (40 minutos de barco, seguido por 2h de ônibus e 20 minutos de lancha), operação feita pela empresa Cassi Turismo, pelo valor de R$130 – saindo do aeroporto com transfer ou R$95 com saída do Porto. Para quem gosta de praticidade, o táxi aéreo também opera na cidade. Existem vôos diretos fretados que saem do Aeroporto Internacional Luiz Eduardo Magalhães. A duração da viagem até Morro de São Paulo é de aproximadamente 30 minutos. Apenas duas empresas operam no trajeto, com valor médio de R$480 por trecho, a depender da temporada.

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Chegando em Morro de São Paulo, o turista paga uma taxa de turismo de R$15 (independente dos dias que for permanecer) e uma curiosidade chama atenção ao sair da lancha. É que um grupo de moradores fica aguardando os turistas para auxiliar no transporte das malas, cobrando R$10, R$15 ou R$20 (cada – dependendo do tamanho). O motivo? É proibido circular carros em Morro de São Paulo, sendo permitido apenas os de serviço público ou de algumas pousadas. Não estranhe se não ver nenhum mesmo. As ruas são calçadas, repletas de lojas, restaurantes na Rua Caminho da Praia, rampas, e a vila bem movimentada, geralmente com rodas de capoeira e crianças brincando. Por lá, nada de barulho. Também foi proibido o uso de caixinhas de som pela praça. Se o turista não pagar o carrinho de mão, terá que levar sua bagagem por um trajeto repleto de rampas e escadarias até a acomodação escolhida. Dario, o guia turístico conhecido como Alemão (@alemaosolucao no Instagram), é um dos mais requisitados para acompanhar durante a estada. Natural do Espírito Santo, mora há mais de 20 anos em Morro, e ficou conhecido com o seu trompete de mãos, que o levou até o quadro Se vira nos 30, do Domingão do Faustão. 

Moradores de Morro de São Paulo transportam as bagagens dos turistas em carrinhos de mão – Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

O melhor de tudo é que Morro de São Paulo agrada a todos os estilos: casais apaixonados, viagens em família, jovens que curtem badalação e até quem gosta de praia quase deserta, sossego. O balneário é dividido em cinco praias, cada uma para um tipo de perfil, e você consegue chegar até a maioria após uma boa caminhada. Primeira Praia é excelente para a prática do surf. A Segunda Praia é a praia da agitação e badalação, onde ficam localizadas a maioria das pousadas. A Terceira Praia é a mais calma, para caminhar e mergulhar, é também a da saída dos passeios turísticos, a Quarta Praia é a que reúne as piscinas naturais, e por fim, a Quinta Praia, conhecida como Praia do Encanto, com ampla faixa de areia e uma lindíssima paisagem.

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Praia do Encanto – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

O passeio ideal ao chegar em Morro é o tradicional Volta à Ilha, que custa R$130, passando por Morro de São Paulo, pelas piscinas naturais de Garapuá, Galeão e Gamboa, onde tem o tradicional banho de argila. O passeio dura o dia inteiro e promete muitas surpresas durante o trajeto de lancha. Na Ponta dos Castelhanos, Janaína é a responsável pelo famoso pastel de lagosta com queijo e banana, que faz um enorme sucesso. Preparado na hora, em uma barraca improvisada por ela, que nos finais de semana, empurra seu carrinho de mão de duas a três horas a pé até chegar ao local. Outro passeio imperdível é a observação de baleias da espécie Jubarte, o chamado whale watching, que custa R$ 185.  É uma experiência emocionante e os turistas conseguem vê-las mesmo que por poucos segundos. 

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

O retorno a Morro de São Paulo, no final da tarde, contempla um lindo pôr do sol, disputado em dois locais, tanto na Toca do Morcego – o mais tradicional -, quanto no Hotel Portaló, este ao som de sax ao vivo. É incrivelmente lindo! Uma das opções para quem adora aventura é a descida na tirolesa, que custa R$50, com 340 metros de comprimento, partindo de uma altura de 57 metros. Após um dia inteiro de programação, um descanso na pousada é essencial antes de seguir para os restaurantes ou a badalação da vila.

Pôr do sol no Hotel Portaló – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

O famoso pastel de lagosta, com queijo e banana – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

O engenheiro agrônomo Antonio Carlos Berti foi um dos primeiros empresários a investir no destino. Natural de São Paulo, mora há 28 anos em Morro de São Paulo e fundou quatro pousadas, com preço de diárias a partir de R$320. A primeira foi a Villa das Pedras, com 25 acomodações, rústica e confortável, cercada por jardins e muito verde,  inaugurada em 2001, na Segunda Praia, em frente ao mar de Morro de São Paulo, localizada a 300m da vila principal, com um maravilhoso restaurante, o Santa Villa.

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Saindo da pousada, o turista encontra pelo caminho até a Praça Aureliano Lima, barracas de churros, de frutas, de caranguejo (R$9 a unidade), de acarajé (R$10) e muito artesanato. Os restaurantes oferecem diversos tipos de gastronomia, mas a grande maioria focada em frutos do mar. É possível encontrar pizzarias de forno a lenha, churrascaria e um restaurante especializado em sushi, o Casarão, em uma estrutura datada de 1608. Na Vila, também estão disponíveis quatro agências bancárias da Caixa, Bradesco e Banco do Brasil. 

Pousada Villa das Pedras – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

A entrada de Morro de São Paulo – Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Segundo a secretária de turismo Diana Farias, Morro de São Paulo recebe cerca de 20 mil turistas ao mês, em sua grande maioria de São Paulo, Minas Gerais, Brasília e Pernambuco. Também é possível encontrar muitos franceses, italianos e argentinos, que inclusive, trabalham em muitos estabelecimentos do destino. Marcas nacionais como ChilliBeans e Melissa já aportaram por lá, em meio aos comércios locais, como uma Eco Store comandada por Denise Tozzi, com peças produzidas por comunidades e cooperativas, incluindo materiais recicláveis, orgânicos e reaproveitados, que tem 10% das vendas revertidas para projetos sociais da ilha. 

O tradicional banho de argila na Praia de Gamboa – Crédito: Thayse Boldrini/DP

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

Crédito: Elton Andrade/Divulgação

E, quem acha que Morro de São Paulo vive apenas de praia e piscinas naturais, se engana. A noite é superagitada em locais como a Pulsar Disco Club, com a famosa Festa da Espuma, a Toca do Morcego, festas nos barcos, além claro de períodos como réveillon e o período pós-carnaval, iniciando na Quarta-feira de Cinzas, até o domingo. Nomes como Wesley Safadão, Ivete Sangalo, Durval Lellys, Rafa & Pipo Marques, o DJ Alok e até o DJ pernambucano Jopin já aportaram em Morro de São Paulo para tocar em eventos na Fazenda Caeira, um enorme espaço localizado na Terceira Praia. A melhor época para visitar Morro de São Paulo para quem quer agito é o verão, alta temporada, época em que o mar  fica mais azul, com águas mornas e festas frequentes. Em novembro, a ilha já começa a receber turistas do mundo todo. “Vamos começar a trabalhar na acessibilidade da ilha e pretendemos requalificar as placas dos pontos turísticos para melhor passeio dos turistas”, finalizou a secretária Diana Farias. 

 

Author: Thayse Boldrini

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.