Médico de Bolsonaro afirma que o candidato terá que passar por nova cirurgia

Embora a cirurgia de reversão de colostomia seja menos complexa do que as anteriores, ela não está isenta de riscos. A recuperação, no entanto, deverá ser mais rápida que a das cirurgias anteriores. – Crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O cirurgião-chefe da equipe médica de Jair Bolsonaro, Antônio Luiz Macedo, do Hospital Israelita Albert Einstein, prevê que o candidato à Presidência pelo PSL deverá passar por nova cirurgia logo após uma eventual posse, caso eleito no segundo turno.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, na tarde desta quarta-feira, o cirurgião afirmou que a operação para fechamento da colostomia (exteriorização do intestino para saída das fezes) só poderá ser feita após o dia 12 de dezembro, mas que, como o procedimento requer duas semanas de recuperação, se o paciente se submetesse à operação ainda neste ano não haveria garantias que ele estaria completamente recuperado para uma eventual posse, no dia 1.º de janeiro.

Compartilhe este post