Sex Education: uma série sem tabus

Sex Education: uma série sem tabus

Sex Education – Créditos: Reprodução

A série conta a história de Otis (Asa Butterfield) , um adolescente de 16 anos, que é filho de uma terapeuta sexual. Durante toda sua vida, Otis ouviu inúmeras das sessões que a mãe fez com seus clientes. Mas, apesar de ter vivido neste lar liberal e entender bem sobre o assunto, ele se sente muito constrangido com a sexualidade dele. O constrangimento do adolescente se torna ainda maior quando percebe que os colegas do colégio estão passando pela mesma situação, se descobrindo sexualmente. No novo ano escolar de Otis, ele conhece a aluna Maeve (Emma Mackey), que o incentiva a criar uma “espécie de clínica” – já que sempre ouviu os conselhos da sua mãe – para ajudar os outros alunos com seus problemas sexuais. Com isso, eles arrecadam bastante dinheiro e continuam empreendendo no negócio. 


No início, a série parece ser mais um besteirol adolescente, mas ao decorrer dos episódios, a trama surpreende o público com diálogos interessantíssimos sobre família, amizade, identidade, sororidade, entre outros, de maneira simplista e delicada. O elenco é bastante diversificado, o que deixa  Sex Education mais didática. O personagem Eric (Ncuti Gatwa), melhor amigo de Otis, o clássico gay afeminado é um dos que mais se destacam na obra, já que é o responsável por nos fazer refletir sobre assuntos de aceitação e como conversar com a família sobre os sentimentos e alguns dramas vivenciados. 


>> 1ª TEMPORADAA importância do diálogo

Cada episódio conta a história de um determinado personagem em um curto período de tempo, o que não deixa a trama enjoativa/cansativa. Na primeira temporada, o assunto “bullying” é um dos mais abordados, o personagem Adam (Connor Swindells) pratica muitas injustiças com Eric – por ser como ele – mas não conseguir se assumir por ter uma família rígida. Com isso, o debate sobre identidade na adolescência é iniciado, e a obra nos mostra o quanto o relacionamento familiar com abertura de diálogos é de extrema importância nesta fase de tantas descobertas. 


Nesta temporada, o Eric também sofre um ato homofóbico, e por um momento toda sua alegria se perde quando o mesmo resolve se isolar para não falar sobre o assunto. Esta parte de Sex Education traz ao público o verdadeiro sentimento de empatia pelo personagem, assim como uma reflexão sobre como é necessário o apoio familiar. Conversas emocionantes são apresentadas. No final, muitos sentimentos e histórias são revelados, o que causa uma curiosidade e ansiedade para saber o que vai acontecer na continuação da série.

>> 2ª TEMPORADA – Sororidade desde a adolescência

Na segunda temporada, a série surpreende o público mais uma vez ao apresentar debates sobre temas como aborto, abuso sexual, ISTs, orientação entre outros, com bastante informação detalhada. Sex Education quebra muitos tabus e prova que informar salva vidas. A trama nos leva a desconstruir afirmações impostas pela sociedade e conhecer universos diferentes.

Os personagens que antes eram apenas coadjuvantes começam a ganhar espaço e novos atores apimentam a série com um novo toque cheio de romance. A história de Adam ganha grande visibilidade, e finalmente entendemos o motivo de ele não conseguir se aceitar. A desconstrução de estereótipos também é apresentada pelo personagem Jackson (Kedar Williams-Stirling) , que é negro e o garoto mais popular da escola, mas diferente de obras hollywoodianas que sempre apresentam este “tipo” como um babaca, Jackson é super bacana e a história dele também mostra ao público que é importante lutar pelos nossos sonhos que são pertencentes apenas a nós mesmos e não aos nossos pais. Mesmo com problemas com suas duas mães, o que também quebra aquela apresentação de “família tradicional”, e uma delas insistem que ele continue na carreira de atleta, ele prova que sua verdadeira paixão é o teatro e que também pode ter sucesso neste verdadeiro encontro com o tablado.

A sororidade e amizade feminina é o que mais se destaca nesta parte da trama, a personagem Aimee Gibbs (Aimee Lou Wood) é assediada e Maeve junto com outras meninas provam que a união entre elas, assim como falar sobre o assunto, é capaz de curar qualquer trauma. Este é o episódio mais emocionante da queridinha dos jovens da Netflix.

O único ponto negativo – para alguns fãs – é que o romance entre Maeve e Otis não acontece mais uma vez por causa da interferência de outras pessoas. Já outros admiradores da série, curtiram esta enrolação, pois desta forma, foi aberto um espaço para a terceira temporada, que ainda não foi lançada na plataforma de streaming.

Sex Education é a verdadeira desmistificação de padrões, o que a tornou uma série necessária para jovens e adultos que têm dificuldade de iniciar um diálogo e pouco acesso à informação.

Author: Lívia Rosa

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.