Por que o lobo-guará?

Uma pergunta tomou conta da internet Por que o Banco Central escolheu o lobo-guará para estampar a futura nota de R$ 200, que entrará em circulaçao no fim deste mês?

A escolha da imagem do animal, segundo a diretora de Administração do BC, Carolina de Assis Barros, foi feita por meio de uma pesquisa sobre animais da fauna brasileira ameaçados de extinção.

O lobo-guará, uma espécie típica do Cerrado, vai se juntar a uma família ilustre formada pelo beija-flor (nota de R$ 1), a tartaruga-marinha (R$ 2), a garça (R$ 5), a arara (R$ 10), o mico-leão dourado (R$ 20), a onça-pintada (R$ 50) e a garoupa (R$ 100). A presença dos animais remonta ao lançamento do Plano Real em 1994, que veio acompanhado de uma nova família de cédulas e moedas. E a escolha naquele momento recaiu sobre a fauna.

O real veio em substituição à família do cruzeiro real, cujas cédulas tinham uma variedade de personagens: uma baiana caracterizada estampava a nota de 50 mil cruzeiros reais, enquanto o educador e intelectual Anísio Teixeira era a face da nota de 1 mil cruzeiros reais.

Os animais da fauna brasileira estão, portanto, há mais de 25 anos nas cédulas do real. É uma raridade na história econômica recente brasileira, uma vez que, nos tempos de hiperinflação, nas décadas de 1980 e 1990 (primeira metade), as notas perdiam valor muito rapidamente e eram substituídas em poucos anos.

Author: João Alberto

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.