No Dia do Jornalista, celebrado hoje, separamos cinco livros para admiradores da área

Reprodução/Internet

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) decidiu dedicar esta data ao Dia do Jornalista, instituída como homenagem ao médico e jornalista Giovanni Battista Líbero Badaró, morto por inimigos políticos em 1830. Como divulgado no Brasil Escola, Badaró, era um oposicionista ao imperador D. Pedro I e foi o criador do Observatório Constitucional, jornal independente que focava em temas políticos até então censurados ou encobertos pelo monarca. Ele defendia a liberdade de imprensa e morreu em virtude de suas denúncias e de sua ideologia que contrariava os homens do poder.

A sua morte alimentou ainda mais a crise que começava a se instaurar no império de D. Pedro I. A revolta de populares e políticos que eram contra a repressão do monarca tornaram sua permanência no poder cada vez mais perigosa, uma vez que atos violentos estavam acontecendo frequentemente. Esse foi um dos fatores que levaram à renúncia de D. Pedro em 7 de abril de 1831.

O jornalista é responsável pela apuração, investigação e apresentação de notícias, reportagens, entrevistas ou distribuição de notícias e informações de interesse coletivo.

Separamos 5 livros para admiradores da profissão, confira:

Fama e Anonimato, de Gay Talese

A obra reúne uma série de reportagens sobre pessoas famosas e anônimas de Nova York nos anos 1960. O autor, Gay Talese, é conhecido por ser um dos maiores nomes do chamado Jornalismo Literário. Os textos foram publicados em revistas americanas como Esquire e The New Yorker. (Guia do Estudante)

Reprodução/Internet

A Sangue Frio, de Truman Capote

Em 1959, após ler a notícia de um assassinato brutal de uma família no interior do Kansas, nos Estados Unidos, o jornalista Truman Capote decide ir à cidade de Holcomb saber mais sobre a história. Ele relata os detalhes do assassinato depois de entrevistar moradores da região, os familiares das vítimas, policiais e os próprios assassinos, além de ler diários e cartas. (Guia do Estudante)

Foto: Isabela Zamboni 

O Olho da Rua, de Eliane Brum

Se deseja entender melhor como uma matéria é produzida, O Olho da Rua é ideal para você. Na obra, a jornalista Eliane Brum reúne 10 reportagens que fez e conta os detalhes por trás da elaboração de cada uma, desde o processo de escrita até certos erros que podem ser cometidos e dicas para quem sonha em ser repórter. Além disso, o livro apresenta histórias de brasileiros em diferentes regiões do Brasil que enfrentam uma série de desafios no dia a dia. (Guia do Estudante)

Reprodução/Internet

Olga, de Fernando Morais

Esta biografia sobre a militante Olga Benário Prestes, escrita pelo jornalista Fernando Morais, foi publicada em 1993. Além de contar a vida dessa alemã icônica com fortes ideais, que além de militante era judia e comunista, ele relata com cuidado e clareza o envolvimento dela com o brasileiro Luís Carlos Prestes, a estadia e as lutas deles no Brasil, e a entrega dela para o governo alemão, durante o nazismo, pelas autoridades brasileiras. (UNA)

Reprodução/Internet

Presos Que Menstruam, de Nana Queiroz

A brutal vida das mulheres – tratadas como homens – nas prisões brasileiras. Grande reportagem sobre o cotidiano das prisões femininas no Brasil, um tabu neste país. Ela relata os episódios que as levaram à cadeia até o cotidiano no cárcere.

Reprodução/Internet

Author: Mariane Magno

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.