Carlos Augusto Lira se reinventa na decoração do Carnaval deste ano
fev22

Carlos Augusto Lira se reinventa na decoração do Carnaval deste ano

O arquiteto Carlos Augusto Lira monta a cenografia e identidade visual do carnaval do Recife há 16 anos. Já passou por temas e homenageados como Ariano Suassuna, Zé Claudio, Alceu Valença. Este ano, se reinventou e buscou na arte de rua o conceito para a decoração. Ele conversou com a equipe do blog sobre as novidades do carnaval, suas experiências e como se renova a cada ano. Confira: Como surgiu a ideia da decoração do carnaval deste ano? No ano passado, a primeira-dama Cristina Mello falou comigo pedindo que eu me reinventasse na decoração do carnaval. Queria que eu desse a “cara” da gestão da prefeitura, que buscasse a arte urbana. Eu adorei! Então fomos pesquisar os grafiteiros. Eu fiz uma lista, Cristina sugeriu nomes também e chegamos a um consenso, junto com a Nuvem Produções. Todos os artistas foram muito acessíveis, sem estrelismo, toparam participar. Isso abriu uma janela para muita gente mostrar o trabalho, suas técnicas e de desenvolver sua arte. Eu fiquei muito satisfeito, foi uma grande mudança e muito importante pra mim. Foi um aprendizado. Quanto tempo durou a preparação da cenografia para o carnaval? O que mais demorou foi a organização do projeto, preparar os locais dos painéis, dar as tintas para os artistas. Depois que eles começaram foi tudo rápido. Começamos em novembro e em 15 de dezembro já estava com quase tudo pronto para trabalhar com as fotos e as impressões. Como será feita a decoração? Por ser feito no sítio histórico da cidade, a gente fica um pouco engessado, porque não pode mexer na arquitetura do lugar. Então, os grafiteiros fizeram painéis em outros lugares da cidade, como o Compaz do Cordeiro, onde eles podem ficar permanentemente. Após 16 anos na cenografia do carnaval, como você se reinventa? Eu tenho 69 anos e estou sempre buscando aprender. Eu aprendo com as pessoas. É preciso ser aberto, não pode ser engessado. Eu trabalho com arquitetura há 45 anos e há mais de 30 meus clientes já diziam que eu era “um arquiteto que ouve”. Então você não pode ser irredutível em sua profissão. É duro se reinventar, mas é preciso colocar “a cabeça para moer”, como foi o caso agora com o grafite. Além, é claro, de toda a equipe da prefeitura, os arquitetos que trabalham comigo, o designer, minha filha que trabalhou comigo por 10 anos… Todos me ajudam. E os jovens também, eu aprendo muito com os jovens, com meus netos. E após trabalhar para o Carnaval, como aproveita os dias de folia? Eu fui chamado por Almir Rouche para subir no trio este ano, mas acho que não vou,...

Cristina Mello: “Sou mulher e uso toda minha força para transformar tempo em ouro”
fev18

Cristina Mello: “Sou mulher e uso toda minha força para transformar tempo em ouro”

O nome do cargo é pomposo: primeira-dama do Recife. Mas ela quebra o protocolo já no primeiro sorriso: largo, espontâneo e cheio de boa energia. É assim Cristina Mello, esposa do prefeito Geraldo Julio. Uma mulher simples, gentil, alegre e ainda tem a nobre missão de cuidar do coração das crianças no Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Imip). Divide as atividades com o papel de mãe de Rodrigo, Eduardo e Mariana e de dona de casa. “Sou mulher e uso toda minha força, disposição e alegria que uma mulher poder ter para transformar tempo em ouro”, disse ela em entrevista para a coluna João Alberto deste fim de semana. Também falou sobre o carnaval, uma das suas festas preferidas do ano. Confira:  1- Como você administra as atividades de médica, mãe e primeira-dama? Simples … Sou mulher e uso toda minha força, disposição e alegria que uma mulher poder ter para transformar tempo em ouro. Quando passamos a entender que a nossa vida é feita de escolhas e, essas prioridades devem ser voltadas para fazer o bem e com todo amor, no final tudo dá certo e arrumamos tempo para tudo.  2- Como escolhe as fantasias? Confio muito no time que escolho para me ajudar com os vestidos de carnaval. Deixo sempre os artistas, estilistas criarem. Claro que às vezes dou minhas sugestões.  3- Quais os frevos que mais gosta? São tantas músicas maravilhosas , tantos compositores e músicos talentosos que fica difícil escolher um. Os ritmos de carnaval, como frevo e samba, me agitam. Também adoro maracatu. Confesso que o batuque do maracatu faz meu coração acelerar diferente. 4- Os eventos de carnaval que mais admira? Acho linda a Noite dos Tambores Silenciosos 5- Uma recordação de carnaval O Carnaval do Recife sempre me traz boas recordações. Mas a primeira vez que fui ao Galo da Madrugada foi inesquecível. Desde esse dia vou para o Galo todos os...

Jorge Peixoto fala sobre os preparativos do Carvalheira na Ladeira
fev11

Jorge Peixoto fala sobre os preparativos do Carvalheira na Ladeira

Manter um conceito de qualidade e ser reconhecido por ele é para poucos. É assim, na cidade, quando se fala das festas e shows promovidos pelo Grupo Carvalheira, leia-se Geraldo Bandeira de Melo, Rafael Lobo, Jorge Peixoto e Victor Carvalheira. Eles não brincam em serviço e têm como meta não somente promover grandes shows, mas sim, a experiência Carvalheira. “Seja na decoração, no serviço, nas atrações, nos efeitos especiais”, disse Jorge Peixoto, um dos sócios e diretor de RP do grupo, entrevistado da seção bate-bola deste fim de semana da Coluna João Alberto. Ele falou sobre os preparativos e detalhes do Carvalheira da Ladeira, principal evento do calendário deles e o mais “bombado” do carnaval de Olinda. Confira a entrevista na íntegra:       – Qual a principal aposta do Carvalheira na Ladeira deste ano? A principal aposta continua sempre sendo o nosso serviço. Promover esta experiência da marca que a gente proporciona em todos os eventos. A Carvalheira se destaca por isso: por oferecer uma festa de primeira qualidade. Não um show. Nós não nos propomos a ser apenas um local de apresentação de bandas. Nós somos uma empresa que tenta focar nas experiências completas do cliente no evento, seja na decoração, no serviço, nas atrações, nos efeitos especiais. Tem tudo. Isso é o que a gente sempre tenta surpreender. – Como é feita a escolha das atrações que vão se apresentar nos quatro dias? Costumamos falar que somos um evento nacional, mas também somos um grande impulsionador da nossa cultura. Por isso, temos todos os dias um grande ícone cultural do país. Temos um nome de Pernambuco, um nome do sertanejo, do axé e da cena de música eletrônica. Tentamos mesclar todas as atrações com um nome forte nos seus segmentos e que representam bem os seus públicos. – Quanto tempo vocês levam para produzir o evento? O tempo de produção é de 365 dias. A gente começa a pensar no “Ladeira” na quarta-feira de cinzas. Este ano, antecipamos as vendas para abril. A tendência agora é já começar a vender logo após o carnaval. Estamos sempre pensando no Carvalheira da Ladeira, que é o grande evento do nosso calendário anual. – Qual a expectativa de público nos quatro dias? A nossa expectativa é de dar “sold out’ em todos os dias do evento, reunindo 6 mil pessoas por dia. Já esgotamos o domingo, a segunda e a terça. O sábado estamos próximos de esgotar também. Nossa expectativa é esta: vender realmente todos os ingressos, se Deus quiser.   – Na cidade, o Carvalheira é conhecido por manter um “padrão A” nos eventos que produz. Como é a responsabilidade de carregar...

Rômulo Meneses: “O Galo não pode deixar de inovar e crescer em todos os sentidos”
fev05

Rômulo Meneses: “O Galo não pode deixar de inovar e crescer em todos os sentidos”

O Galo da Madrugada é a cara do carnaval pernambucano. E uma das faces do nosso Galo é a de Rômulo Meneses. Se você não o reconhece pelo nome, vai lembrá-lo pela foto, pelo sorriso e pela empolgação nas entrevistas que sempre dá à imprensa sobre os preparativos e no grande dia do desfile. Foi ele um dos que saiu pela primeira vez no bloco, em 1978, junto a outros 75 foliões encapuzados, sem ter ideia que o Galo ficaria famoso e chegaria até ao Guiness Book, como o maior bloco de rua do mundo. É Rômulo quem preside a agremiação e comanda uma equipe gigante para colocar na rua o personagem mais famoso da folia do nosso estado, preservando uma tradição que completa, em 2018, 40 carnavais. Pertinho do grande dia, Rômulo concedeu entrevista à nossa equipe. Falou sobre os preparativos para colocar o bloco na rua, seus carnavais mais marcantes, os desafios e mais. Confira a entrevista completa que foi publicada na coluna João Alberto deste fim de semana.     1- Qual o principal desafio de comandar a organização de um evento do porte do Galo da Madrugada? Os principais desafios, como a gestão de qualquer organização, são: manter um controle rígido das despesas em relação à receita; manter os colaboradores comprometidos e motivados; atender as expectativas de nossos clientes, os foliões e admiradores em geral; defender e fortalecer a cultura popular de Pernambuco e manter nossos patrocinadores satisfeitos com os investimentos realizados no Galo. 2- O que você acha que foi decisivo para o Galo chegar aonde chegou? Sempre atender, ou mesmo superar, as expectativas de nosso admiradores (foliões , fãs, etc. ) e de nossos patrocinadores. Nossos lemas são “Carnaval Participação” , “Cultura com Cidadania”, além da defesa da diversidade cultural de Pernambuco e valorização de nossas tradições festivas: nossos folclore e ritmos, nossas fantasias, músicas e nossos músicos. 3- Em todos estes carnavais, tem algum, em especial, que te marcou? O primeiro desfile que deu origem ao Galo em 1978. Seria como o “big bang” do Universo. Conhecemos a história, vemos o Galo, mas não sabemos explicar com certeza, pelo menos até o momento, como esse fenômeno social de expansão ocorreu e se mantém. Além disso, o desfile em homenagem ao nosso Presidente Perpétuo: Enéas, a alegria do carnaval ! 4- Como é a sua rotina de trabalho na semana que antecede o Sábado de Zé Pereira e no dia mesmo do evento? Consegue curtir também? É uma verdadeira loucura. Passamos a semana inteira trabalhando de 18 a 20 horas. Não conseguimos dormir direito e ficamos sem dormir praticamente as duas noites que antecedem o grande desfile. O Galo tem cerca de...

Felipe Carreras: “O hub da Azul tornou Pernambuco uma vitrine para os voos internacionais”
jan28

Felipe Carreras: “O hub da Azul tornou Pernambuco uma vitrine para os voos internacionais”

Quem acompanha o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras – seja pela mídia ou através de suas redes sociais – vê que ele não para. São reuniões, viagens, encontros importantes – no Recife, no Brasil ou no exterior – que já trouxeram um saldo bem positivo para o setor em nosso estado. Para citar alguns feitos, nos últimos dois anos, Pernambuco se conectou com várias outras cidades brasileiras com a chegada do hub da Azul. Também “ficou mais próximo” de vários países com a confirmação de novos voos internacionais para Argentina, Uruguai, Itália, Cabo Verde e Estados Unidos. Fora alguns outros que estão encaminhados e devem entrar no nosso noticiário em breve. Ele conversou sobre estas e outras ações, bem como analisou o cenário do turismo no estado para o colunista João Alberto, na seção bate-bola, publicada na coluna do Diario de Pernambuco de hoje. Confira a entrevista na íntegra:  Qual a principal meta da Setur para 2017? O turismo é uma janela de oportunidades. Nos últimos dois anos, aumentamos o número de turistas, passando de 5,3 milhões turistas em 2014 para 5,6 milhões em 2016, um incremento de 6,1%. Crescemos em conectividade aérea com o hub da Azul e mais sete voos internacionais para Argentina, Uruguai, Itália, Cabo Verde e Estados Unidos. Construímos a campanha mais admirada do País, a “Pernambuco, Coração do Nordeste”.. Queremos impulsionar nossa conectividade aérea e o turismo interno, para que o pernambucano conheça Pernambuco. Vamos trabalhar para entregar obras importantes em todas as regiões. Como vinda do hub da Azul impactou o estado? Foi uma das principais conquistas do Governo de Pernambuco na área do turismo nos últimos anos. Passamos de 12 destinos diretos para 25, além de Jericoacoara e Mossoró, que começam a operar nos próximos meses, e Serra Talhada, até o final do ano. Além do aumento no número de turistas, o hub tornou Pernambuco uma vitrine para os voos internacionais, pois essas operações podem ser alimentadas por todos os estados do Nordeste, sem a necessidade de passar por São Paulo, Brasília ou Rio de Janeiro, como costumava acontecer. Existe ainda possibilidade do hub da Latam vir para o Recife? Não cabe a gente decidir, mas não temos dúvida nenhuma que já éramos o estado mais preparado, agora estamos mais capacitados ainda. Acredito que a Latam não encontrará motivos técnicos para não nos escolher. Apresentamos todo o material solicitado e estamos aguardando. Como será o esquema de Carnaval? O Governo de Pernambuco está fechando o orçamento para o Carnaval até a próxima semana. Nossa intenção é apoiar o máximo de municípios possível, mas é preciso entender que a situação econômica nos limita neste sentido....

Página 1 de 111234Última »