Como envelhecer bem e saudável: o segredo que todos querem saber
jan22

Como envelhecer bem e saudável: o segredo que todos querem saber

Não basta ter uma vida longeva. O segredo que as populações mundo afora querem revelar é como chegar bem à velhice. E hoje, por sorte, já existem médicos e especialistas que se dedicam aos estudos do envelhecimento saudável. Desmistificaram a ideia do velho em casa, assistindo televisão o tempo inteiro, esperando o tempo passar…. Jacques Waisman é um destes. Médico, com atuação clínica na saúde integral, com ênfase no equilíbrio metabólico e na qualidade de vida, ele conversou com a nossa equipe sobre o tema, falando sobre como envelhecer bem, a importância da atividade física, alimentos recomendados, os que devem ser evitados e mais. Confira:  – Qual o principal segredo para se envelhecer bem?  São cinco os principais fatores para um envelhecimento saudável: praticar exercícios físicos regularmente, ingerir alimentos saudáveis, beber água, possuir um sono de qualidade e ter fé na vida. – Que comidas são, aparentemente, inofensivas, mas que prejudicam à saúde?  Os alimentos ricos em açúcar como refrigerantes, sucos de caixinha, achocolatados e os que possuem gordura vegetal hidrogenada, ou gordura trans, como batata frita de pacote ou de fast-food, biscoitos recheados, pipoca de micro-ondas, sorvete. – A nutrição evoluiu muito na descoberta de alimentos que trazem benefícios de médio e longo prazo para a saúde. Quais o senhor citaria como fundamentais para serem introduzidos na dieta de quem quer viver mais e melhor?  -Abacate: auxilia no emagrecimento, reduz os níveis de cortisol, possui antioxidantes, auxilia na saúde dos olhos, rico em vitaminas e minerais. – Ovos: possui vitamina D, aumenta a saciedade, contribui para o aumento da massa magra, rico em luteína e zeaxantina, o que é ótimo para a saúde ocular, e também possui lecitina que ajuda a controlar os níveis sanguíneos do colesterol. – Óleo de côco: o côco é a mais nobre das castanhas. É uma excelente fonte de energia, termogênico natural, auxilia o sistema imunológico, ação antioxidante, ótima opção para cozinhar. – Couve: Ação anti-inflamatória e cicatrizante, rica em cálcio e magnésio, ação antioxidante poderosa, desintoxicante e favorece a absorção de outros nutrientes. – Cacau e chocolate amargo (mínimo de 70% de cacau): diminui a resistência à insulina (em quantidades adequadas), acelera o metabolismo, regula o humor, rico em flavonoides (ação cardiovascular) – Adianta começar a atividade física depois dos 60, tendo passado a vida inteira sedentário?  É recomendadíssimo iniciar a prática regular de exercícios físicos em qualquer idade, independente de um histórico anterior de vida sedentária, desde que acompanhada por um profissional habilitado para respeitar os limites de cada etapa da vida. – Muitos falam das atividades físicas para cuidar do corpo e chegar bem à velhice. E o que se pode fazer...

Tito Lívio sobre os 20 anos do seu Downtown: “Antes de mais nada, é preciso ser louco”
jan14

Tito Lívio sobre os 20 anos do seu Downtown: “Antes de mais nada, é preciso ser louco”

Por Marília Gouveia O empresário Tito Lívio Saraiva conseguiu deixar sua marca na vida noturna recifense, comandando há 20 anos o Downtown Pub, no Recife Antigo. O gaúcho deixou a profissão de Engenheiro de Pesca para se aventurar na noite e o que começou como uma diversão entre amigos se tornou uma das marcas mais conhecidas e respeitadas do ramo. Conversamos com ele sobre a história do pub, noites marcantes, dificuldades e segredos para se manter ativo por tantos anos. Confira: – Como surgiu o Downtown? O Downtown surgiu como uma brincadeira entre cinco amigos. A gente queria fugir um pouco da moda da época, que era forró, pagode e boate e fomos na contramão com uma casa voltada para o rock, que não estava em alta. A gente apostou na ideia que havia um público fiel para este tipo de casa. Então começou com música ao vivo e deu certo. O Recife Antigo também estava no auge, tanto que nós não conseguimos ir para o centro do bairro, na Rua do Apolo, na Moeda. Nós fomos para o lado oposto da moda, o lado ainda marginalizado. Não posso dizer que foi um estouro no primeiro momento – mas com um ano e pouco, a gente já via que era uma casa que tinha vindo pra fazer diferença. – Como você administra o Downtown hoje? Ao longo dos anos houve mudanças de sociedade, logo no começo, dos cinco amigos três saíram. Depois entraram mais dois, que ficaram com a gente por uns 10 anos, e há seis anos, só eu e meu irmão somos sócios da casa. – Qual é o segredo para se manter por tantos anos? Antes de mais nada tem que ser louco! É fato que uma casa noturna tem uma vida útil curta, seja no Recife, Rio, SP, Porto Alegre. Não ultrapassa quatro anos. Porque uma casa noturna mexe com moda, o público vai onde os outros estão. Nós, ao contrário de muitas casas que quando veem que o movimento está caindo parte para outro estilo, mais populares, ficamos fiéis à marca. Ainda mais que o próprio bairro do Recife passou por momentos delicados. Muita gente dizia que se sentia inseguro de ir, eu cheguei a anunciar algumas vezes que iria fechar, até como uma forma de cutucar as autoridades, porque eu nunca quis sair daqui. De cinco a cinco anos para cá, melhorou muito. Também com a abertura dos Armazéns do Porto, há dois anos, que o Downtown também tem a casa, o bairro melhorou demais e o movimento também voltou. Agora estamos passando por uma fase muito bacana, como antigamente. – Quais as...

Fãs entrevistam e Luan Santana responde: “A fama nunca me soberbou”
jan12

Fãs entrevistam e Luan Santana responde: “A fama nunca me soberbou”

Luan Santana aterrissa em solo pernambucano nesta semana, onde subirá ao palco do Festival Tamandaré Fest. A entrevista que faríamos com o músico, desta vez, foi feita por internautas, fãs do artista. Confira perguntas e respostas.  1) Qual a sua maior habilidade fora da música? Algo em que seja muito bom. LS- Caramba, difícil…rs. Levo um jeito pra pesca, que é um hobby que eu amo demais. Me relaxa e me descansa muito. Gosto sempre de tirar uns dias de folga e ir ao Pantanal. 2) Nós sabemos o quanto é grande o assédio em cima dos artistas, bem como também pessoas que se aproximam por interesse ou status. Você já teve alguma decepção em relação a isso? LS- Sempre fui muito atento a isso e a fama nunca foi algo que me soberbou. Então, todos que se aproximaram de mim, foram pessoas, assim como eu, sem interesse. Tive o privilégio de estar sempre acompanhado dos meus pais e eles me protegeram em relação a essas decepções. 3) Você disse que este ano irá gravar um DVD comemorativo pelos 10 anos de carreira. Por ser uma data especial, você pensa em sair do modelo intimista e ter um grande número de fãs ao seu lado? LS- Estamos em formato de concepção ainda. Supresas…rs 4) Já pensou na ideia em pessoas que admiram o seu trabalho puderem contribuir como voluntários para você? Sejam em redes sociais, ideias de pautas, com seleção e tudo mais. LS- Boa ideia! 5) Qual palavra te definiria melhor no momento atual? LS- Gratidão 6) É possível ter amigos dentro da música? Amigos de verdade? LS- Claro que sim. Tenho muitos amigos que a música me deu. 7) Você muda o visual do cabelo a cada projeto e várias vezes ao ano. Qual será o seu próximo penteado? Já tem ideia? LS- Surpresa 8) Você tem planos de ter uma carreira internacional ou gravar em outras línguas? LS- Sim, tenho vontade de gravar em...

Carmen Peixoto fala sobre etiqueta pessoal e profissional
nov05

Carmen Peixoto fala sobre etiqueta pessoal e profissional

A jornalista e instrutora de etiqueta pessoal e profissional Carmen Peixoto é a entrevistada deste fim de semana da Coluna João Alberto. Na conversa, há ótimas dicas de elegância e postura em diversos momentos. Confira: – O que é ser elegante? É ter um estilo próprio e marcar presença mesmo sem se fazer notar. É ser ético, atencioso e cortês com todas as pessoas independentemente da classe social. – Em um evento onde se é o centro das atenções, em uma palestra ou reunião, por exemplo, quais os cuidados que devemos ter com a roupa e nossa linguagem corporal? Ter o cuidado de não exagerar na apresentação visual e vestir-se de acordo com o público para o qual vai se dirigir. Chegar cedo, testar o microfone, o Power Point e, embora o nervosismo nessa hora seja natural, antes de iniciar uma palestra, respirar profundamente, observar a sua postura, entrar com passos firmes, sorrir e evitar gestos que transmitem insegurança como: esconder as mãos no bolso, passar as mãos no cabelo, abotoar ou desabotoar o blazer, gesticular com uma caneta na mão, adotar vícios de linguagem como “aí…”, “não é”. Outra coisa, nunca pedir desculpas por não estar à altura… O público espera que o palestrante apresente-se da melhor forma. Desperte a atenção de todos logo no início com informações de interesse geral. Conte histórias para exemplificar. – O que deve ser feito e o que deve ser evitado em um encontro de negócios? Para um encontro de negócios a escolha do local é fundamental e muitas vezes é num restaurante, em mesa reservada, onde não haja muito barulho, que grandes negócios são fechados. Importante nessa ocasião é conhecer as regras da etiqueta à mesa, para transmitir uma boa imagem. Se vai tratar de negócios no escritório, convide a pessoa para sentar-se com você em ambiente onde haja poltronas e sofá, melhor para criar um clima de cordialidade e evite deixar o bureaux como um empecilho entre os dois. Pontualidade é um bom começo para os negócios, portanto evite chegar atrasado ou deixar seu convidado à espera na recepção. Ao se apresentarem normalmente há a troca de cartões profissionais e, nessa ocasião, coloque o cartão à sua frente e demonstre atenção. Esteja preparado para responder perguntas, saiba ouvir porque é tão importante quanto saber falar e evite se exaltar. Demonstre equilíbrio e segurança. Utilize uma linguagem clara, argumente, explique, mas seja objetivo e nunca prolixo. Recomende à secretária para servir cafezinho ou água após dez minutos, de conversa enquanto falam apenas de amenidades. – Qual a roupa clássica que não pode faltar no guarda-roupa de um(a) executivo(a)? Dependendo do clima, hoje...

Thaynara OG: “Estou vivendo a experiência para ver no que vai dar”
mar09

Thaynara OG: “Estou vivendo a experiência para ver no que vai dar”

O burburinho foi grande ontem com a passagem da snapchatter Thaynara OG, de 23 anos, pela cidade. Thay, como é conhecida no Snapchat, rede onde faz o maior sucesso, veio ao Recife para participar do evento do Dia Internacional da Mulher do Shopping Guararapes, além de lançar a conta do mall na rede social. Thaynara bateu um papo com o Blog João Alberto e falou sobre sua ascensão meteórica, a fama e os planos para o futuro. Confira: – Quando e como começou o seu “relacionamento” com o Snapchat? Começou como uma brincadeira. O Snapchat é um aplicativo de 2011, mas só fiz minha conta em 2012. Duas amigas me apresentaram ao APP dizendo que era a minha cara e me ensinaram a mexer. Na época, não tinha o mecanismo de guardar a história por 24 horas. Você só mandava para os seus amigos. Todo mundo gostava, mas eu só tinha umas 20 pessoas, no máximo. Em julho do ano passado, comecei a fazer os vídeos com quadros, por pura molecagem. Mas isso despertou a curiosidade de pessoas de fora do meu círculo de amizades. Amigos de amigos pediam para eu aceitá-los, porque meu perfil era privado. Eu tinha vergonha, mas aceitava uma pessoa ou outra. O que deu meu primeiro boom foi uma parceria que eu fiz com o “Você Sabia?”, um Instagram de curiosidades que tem mais de 2 milhões de seguidores. Ganhei muito seguidor do Brasil inteiro e foi aí que quebrei a barreira regional. Nesse momento, resolvi abrir minha conta para o modo público. Depois, o que deu certo foi pessoas famosas indicando o meu perfil: Hugo Gloss, Celso Portiolli, Bel Pesce, Jout Jout… Todos eles me conheceram pelo Snap e me indicaram. Isso é muito gratificante. – Qual foi o momento que a ficha caiu? Quando você viu que estava realmente famosa? Começou quando pessoas que eu não conhecia começaram a me abordar em São Luís. Depois, começaram a pedir foto e ficarem nervosas. A gente tirava foto e a pessoa ficava se tremendo. (Risos) Também tem o assédio na porta de casa. Foi aí que caiu a ficha da repercussão, pelo menos em São Luis. Mas em nível de Brasil, a ficha só caiu hoje. Eu já sentia que no Recife eu tinha muito seguidor, mas depois da recepção que tive, tenho dúvidas se tenho mais seguidores aqui do que em São Luís. (Risos) – Seus amigos são da mesma geração que você e entendem como funciona a questão da fama pela Internet e pelo Snapchat. Mas como seus pais e sua família reagiram a isso no começo? E agora? Eles não entendiam. (Risos) Antes era uma coisa...

Página 1 de 101234Última »