Eu Acho é Pouco foi bom demais

Há 35 anos, as cores vermelha e amarela fazem parte do carnaval pernambucano. Como é tradição, a prévia do bloco Eu Acho é Pouco, realizada na noite do sábado, no Mercado Eufrásio Barbosa, garantiu animação, muito frevo e samba, ingressos esgotados e o clima da folia antecipado. Para começar a festa, o DJ Pepe Jordão esquentou o público para a frevança que estava por vir. Em seguida, a orquestra do Maestro Ozéas embalou a plateia com clássicos do ritmo pernambucano, como Madeira do Rosarinho, Turbilhão e Juventude Dourada – músicas que acompanham gerações e fazem o público cantar em coro.

Fotos: Fernanda Guerra/DP/D.A Press

O frevo foi sucedido pelo sambão da batucada do bloco. E a temperatura continuou elevada. Segurando até o amanhecer, o Coletivo Sem Loção, de Lala K, Felipe Machado e Rebel K. Os organizadores se dividiam entre folia e trabalho – seja para ficar na recepção, vender bebidas, comidas ou roupas personalizadas, ou para desfilar como porta-estandarte. Tudo feito com nítido prazer. Mais uma vez, os foliões investiram nos figurinos vermelho e amarelo – um mais original que o outro.

Batucada do Eu Acho é Pouco agita os foliões com sambão

Destaque para o público de todas as idades. Por lá, André Carício, Herácliton Diniz, Sabrina Barbosa, Armando Pugliesi, Cris Pontual, Joca Pontes, Miau Caldas e Luciana Ribeiro marcaram presença. E isso é só o começo. Durante o carnaval, o bloco sai no sábado (Olinda, em frente ao Mosteiro de São Bento), no domingo (Praça do Arsenal), na segunda, com o Eu Acho é Pouquinho (festa da criançada) e encerra na terça (Olinda).

Sabrina Barbosa e Armando Pugliesi

Heráclito Diniz e André Carício

Cris Pontual

Flávio Brasil e Luciana Ribeiro

eu

Author: admin

Share This Post On