Confusão em restaurante do Parnamirim vai parar no Facebook

Uma polêmica envolvendo uma suposta agressão no restaurante El Chicano, situado no Parnamirim, foi bastante comentada nas redes sociais no fim de semana. O caso foi relatado pela professora de inglês Renata Palhano na sua conta do Facebook e já soma mais de 2.600 compartilhamentos. De acordo com Renata, ela estava acompanhada de um grupo de amigos no local, na noite de sábado, e ao solicitar a conta perceberam que estava errada. “A parcial já havia sido paga por dois amigos que precisaram ir embora mais cedo e deixaram a segunda via do cartão comigo como comprovante. Porém, eu perdi uma delas. Dissemos ao garçom e ele disse que não poderia fazer nada porque a gente não tinha como ‘provar’ o pagamento”, explicou. Depois, o gerente e sócio do estabelecimento, Francisco Sousa, foi chamado para resolver a situação. Segundo Renata, Francisco teria tentado enforcar um amigo dela. Afora isso, ela também afirma que o seu celular, um iPhone, teria sido furtado no meio do conflito.

Crédito: Reprodução

Crédito: Reprodução

Na noite de ontem, o El Chicano divulgou uma nota de esclarecimento que diz que Francisco tentou dar três soluções para Renata e os amigos. “Sr. Francisco Sousa, gerente e sócio do estabelecimento, que – de imediato – tentou dar uma solução, sugerindo que os mesmos entrassem em contato com seus amigos, no sentido deles retornarem e demonstrarem o referido pagamento ou que a conta fosse integralmente paga, donde os valores que viessem a estar repetidos, seriam no dia seguinte devidamente devolvidos, quando da necessária comprovação do pagamento. Os clientes, sem qualquer razão convincente, não aceitaram qualquer das alternativas (nem mesmo a de contatar os amigos!), um deles, de forma exaltada, passou a agredir verbalmente a casa, o gerente e até as tentativas de resolução, tudo isso, mediante vocabulário de baixo calão. Não bastando o tanto, o mencionado exaltado, tentou agredir fisicamente o Sr. Francisco Sousa que o imobilizou como legítima defesa e imediatamente depois se retirou da circunstância como forma de não aumentar o transtorno que estava instalado pela não aceitação das alternativas de solução”.
El Chicano Crédito: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

El Chicano Crédito: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Furto
A nota citou, ainda, o suposto sumiço do celular. “A ordem da casa sempre foi primar pelo respeito, segurança e bem estar de seus clientes. Trazendo, ainda, em seu arcabouço funcional os princípios do Direito Consumerista e da boa e proba comunicação com seu público. Fato inegável e que viria a ser comprovado logo em seguida, pois cerca de 20 minutos depois do ocorrido acima citado, voltaram duas pessoas do mesmo grupo à procura de um aparelho celular, segundo eles, esquecido no local. Prontamente, nosso gerente foi conversar com os rapazes e afirmou que o objeto não havia sido encontrado. Salientamos que todo material esquecido no El Chicano é guardado para que seus donos possam resgatá-los. Um dos rapazes disse que havia falado com um policial e foi instruído a ligar para o 190, caso não encontrasse o aparelho telefônico. Francisco Sousa não hesitou em fazer o contato imediatamente, pedindo que o segurança da casa ligasse. Enquanto aguardavam a chegada da viatura ao local, eles simplesmente decidiram ir embora. O veículo da Polícia esteve no bar, mas não deu seguimento ao trabalho, pois os reclamantes não estavam presentes. O que prova mais uma vez o desinteresse do grupo em solucionar os problemas de forma correta e amigável”.

Author: admin

Share This Post On