Chiclete levou público do Segura a Seringa ao delírio

Selo_carnaval_2014

Chiclete com Banana Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Chiclete com Banana Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

O Segura a Seringa, a prévia oficial dos médicos, movimentou os quatro cantos do Chevrolet Hall, nesta sexta-feira, ao som de Chiclete com Banana, Almir Rouche e Orquestra Maximus. O anfitrião do evento, o provedor do Hospital Português, Alberto Ferreira da Costa, curtiu a folia ao lado de nomes do meio políticio e social, além de colaboradores e fornecedores.

 Alberto Ferreira da Costa e Carmen  Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press


Alberto Ferreira da Costa e Carmen Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Credito: Andréa Rêgo Barros/PCR

Geraldo Julio, Cristina Mello, Alberto Ferreira da Costa e Carmem – Credito: Andréa Rêgo Barros/PCR

O espaço mais disputado da prévia foi, claro, o camarote VIP da provedoria. Por lá, Alberto e a esposa Carmen receberam Geraldo Julio, Cristina Mello, Fernando Figueira, Fabiana e Felipe Carreras, Adriana e Fernando Bezerra Coelho, Fernando Moraes, Laura Areias, Fred Amâncio, Diego Rocha e muitos outros. A primeira-dama do Recife, Cristina Mello, era uma das mais animadas e assim como o prefeito estava com a roupa pintada pelos filhos Rodrigo, Eduardo e Mariana. “Eles colocaram as mãozinhas pintadas no meu vestido e na camisa de Geraldo, ontem, na nossa casa. Foi uma grande brincadeira. Tivemos que guardar os pincéis porque eles queriam pintar mais”, disse ela ao blog.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Silvana e Sérgio Arruda Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Silvana e Sérgio Arruda Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Antes de ser responsável pelo grande momento da noite, Bell Marques recebeu o blog João Alberto no camarim. “O show de hoje não é de despedida. É de recomeço. Estou bastante animado e entusiasmado com meu novo projeto, que tem uma formação diferente do Chiclete, pois a banda tem violino, violoncelo e outro guitarrista. A minha guitarra e minha forma divertida de cantar, claro, não vão deixar de fazer parte de mim. Fico à frente do Chiclete durante todo o período carnavalesco, mas no dia 4 de março eu estreio a minha primeira apresentação solo, no bloco Vambora, em Salvador. Minhas expectativas estão altas”, disse.

Bell Marques Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Bell Marques Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

O relógio marcava 2h30, quando os baianos do Chiclete com Banana surgiram no palco sob chuva de gritos e palmas. Bastante extrovertido, Bell fez questão de cumprimentar a plateia. “Bem-vindos ao mundo mágico do Chiclete. Vamos fazer uma madrugada inesquecível para vocês”. E não deu outra. O grupo tocou sucesso atrás de sucesso, que foram cantados em coro. No setlist, Chicleteira eu, Chicleteira ela, Eu vou voar, Diga que Valeu, 100% Você e Se me chamar eu vou. O ponto alto do show foi o hit Quero Chiclete, onde os fãs cantaram tão alto que mal dava para ouvir a voz de Bell.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

A abertura da festa ficou sob responsabilidade da Orquestra Maximus, executando as marchinhas carnavalescas mais populares. Em seguida, o cantor Almir Rouche agitou o Segura a Seringa com um repertório variado: Voltei Recife, Valores do Passado, Descobridor dos sete mares, Não quero dinheiro e A Praieira. Um dos destaques da apresentação foi quando o pernambucano cantou Pais e Filhos do grupo Legião Urbana em ritmo de ciranda. Almir também homenageou Reginaldo Rossi com a música Recife, minha cidade.

Felipe Carreras e Fabiana Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Felipe Carreras e Fabiana Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Eduardo Salazar e Flávia  Azevedo Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Eduardo Salazar e Flávia Azevedo Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Com o tema Brasil: Rumo ao Hexa, a casa de shows ganhou decoração especial de Romildo Alves nas cores verde e amarelo, flores tropicais, bandeiras dos times que vão jogar na Copa do Mundo e muitas bolas de futebol. Na pista, bonecos de Olinda vestidos de jogadores e médicos circularam livremente, dançando com o público.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Suely e Antônio Moraes Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Suely e Antônio Moraes Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Author: Lais Siqueira

Share This Post On