Karla Patrícia: de bailarina a empresária bem-sucedida

selo_lentes

Karla Patrícia Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Karla Patrícia Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Alguns ex-participantes de reality shows depois que deixam o confinamento se apaixonam pelo estrelato. Gostam de ser capa de revista, causam polêmicas para ficar nos holofotes, querem ser famosos a todo custo. Outros aproveitam ao máximo as coisas boas que a fama passageira traz e não almejam seguir carreira artística. Preferem constituir família e permanecer longe dos flashes, como é o caso de Karla Patrícia, participante pernambucana da quinta edição do Big Brother Brasil. Quem acompanhou o programa, com certeza se recorda da bailarina Karlinha, que ficou confinada por 70 dias na casa.

Karla participou da quinta edição do BBB Crédito: TV Globo/Divulgação

Karla participou da quinta edição do BBB Crédito: TV Globo/Divulgação

Bailarina desde pequena, Karla deu start a carreira artística dançando em grupos de forró conhecidos, como Magníficos e Limão com Mel. Aos 20 anos, a moradora de Paulista pediu para o pai filmar o seu vídeo de inscrição para o BBB. Nas imagens, Karla aparecia sentada na cama, segurando um ursinho de pelúcia e dizendo que ia mostrar o forró, o frevo e a garra pernambucana nas telinhas. “Enviamos o vídeo com toda a esperança do mundo e terminei sendo selecionada entre 70 mil inscritos para a próxima edição”, contou. Um ano depois, já com 21, Karla entrou na casa mais vigiada do Brasil.

 Crédito: TV Globo/Divulgação

Crédito: TV Globo/Divulgação

Lá, Karla mostrou, de fato, a determinação que afirmou ter no vídeo. A pernambucana costumava aguentar até o final as provas de resistência. Na prova batizada de “Maratona de Dança”, Karla dançou por mais de 11 horas sem parar. Já em “Segurando um segredo” cada participante tinha que manter o dedo indicador em um botão localizado na boca do seu respectivo boneco para manter uma lua apagada. Caso o dedo saísse do lugar, uma luz em cima da cabeça do boneco acendia e a pessoa estava eliminada. Na ocasião, ela e Grazi Massafera ficaram uma hora e um minuto na posição até que Karla desistiu da competição.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Para ela, os melhores momentos eram as festas, onde ela mostrava seu talento na dança e aproveitava para aliviar a tensão do jogo. O dia mais difícil foi quando a carioca Aline dos Santos foi eliminada. “Eu tinha uma amizade muito forte com Aline. Quando ela saiu, senti uma dor muito grande. Foi pior do que quando fui eliminada”, desabafou. Depois que deixou o BBB, Karla morou seis meses no Rio de Janeiro e aproveitou o bônus que a exposição trouxe. “É engraçado sair da casa, pois você é desconhecida e, de repente, todo mundo te conhece, fala com você na rua, dá palpite na sua vida e cria expectativas em cima de você”, fala. Ela fez presenças VIPs, ensaios fotográficos, desfiles e conseguiu juntar uma grana. Aproveitou o sucesso e reconhecimento e decidiu “tocar a vida para frente”, como gosta de falar. Em 2006, voltou à capital pernambucana, realizou a vontade de fazer faculdade de Publicidade e Propaganda e ganhou um programa de TV, o Simbora com Karlinha, na Tribuna, onde cobria as festas e shows mais badalados da cidade.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

“Desde criança eu queria ser artista, mas quando tive meu próprio programa, percebi que não era aquilo que eu gostava de fazer. Eu não queria trabalhar todo final de semana à noite e, sim, em horário comercial. Além disso, eu queria realizar o sonho de constituir minha família”, comenta. A atração ficou no ar por quase um ano e Karla juntou o dinheiro que lucrou depois do BBB com o que ganhou no Simbora com Karlinha e decidiu concretizar o sonho. Em 2009, abriu o seu próprio negócio, a Ótica Karla, no Cabo de Santo Agostinho. Casou-se com o médico Natanael Amorim e, hoje, aos 30 anos, é mãe de Carolina, de um ano e quatro meses. Leva uma vida mais calma, dividindo-se entre os cuidados com a filha, a casa, o marido e seu empreendimento. Ainda este ano, vai abrir a terceira loja e pretende dar um irmãozinho para Carolina em breve. “Quando entrei no BBB, eu era uma menina. Hoje sou uma mulher realizada, com objetivos traçados, determinada, com muita energia e protetora da família. Nunca estive tão feliz em toda a minha vida”, contou.

Karla com a filha Carolina Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Karla com a filha Carolina Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Na 13ª edição do reality, que reuniu os ex-participantes que foram destaques, Karla foi convidada a participar pelo diretor Boninho. Negou, pois não queria ter a vida exposta mais uma vez. Pelo Facebook, a empresária costuma conversar com os ex-companheiros. O ex-BBB que tem mais afinidade é Daniel Rolim e costuma encontrar com ele uma vez por mês. Daniel, inclusive, vai participar de uma tarde de autógrafos em uma das lojas da Ótica Karla. Sobre a edição atual do BBB, ela confessa que não acompanha com regularidade. “Na minha opinião, esta edição está muito apelativa e não consegui me apegar a nenhum participante. Acredito que Marcelo é um forte candidato e está jogando bem e limpo. Torço para ele”, fala.

Karla, Carolina e Daniel Rolim Crédito: Instagram

Karla, Carolina e Daniel Rolim Crédito: Instagram

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Confira entrevista em vídeo com Karla:

Author: Lais Siqueira

Share This Post On