A comemoração do Dia da Independência dos EUA no Recife

Paul Nicklin, Told Chapman, Usha Pitts, Richard Reiter e Valeria - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Paul Nicklin, Told Chapman, Usha Pitts, Richard Reiter e Valeria – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

O Dia da Independência dos Estados Unidos foi comemorado, no Recife, em clima de despedida e de boas-vindas, em festa na noite desta quarta-feira, na Usina Dois Irmãos. Depois de três anos no Nordeste, a cônsul Usha Pitts ocupa o cargo só até esta semana. A partir da próxima segunda-feira, Richard Reiter é quem assume o posto. Ele, inclusive, já conhece bem Pernambuco. Foi aqui, há vinte anos, que ocupou o seu primeiro cargo diplomático. Adora o povo daqui e, inclusive, é casado com uma pernambucana, Valéria.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Antes dos discursos de alguns diplomáticos, os hinos dos Estados Unidos e do Brasil foram tocados pela banda americana Clinton Curtis Band, que cumpre agenda no estado. O diferencial, na hora do hino brasileiro, foi a presença de um acordeon e de um pandeiro, instrumentos que remetem à cultura do país.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Usha Pitts – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Durante o seu discurso de despedida, Usha, que já é pernambucana de coração e de título, falou sobre a experiência no estado e do que leva daqui para a vida. “Ontem foi um dia muito triste, porque os EUA foram eliminados da Copa do Mundo, mas um bom dia para mim, porque fiquei livre pra torcer pelo Brasil”, brincou.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Muito espirituosa e simpática, Usha disse que volta para os Estados Unidos no próximo domingo. “Esses três anos não foram um trabalho, foram uma vida. Estou saindo com um bolo de rolo na bolsa, uma receita de como fazer coxinhas e muito amor no coração”, disse, arrancando risadas. E completou dizendo que vai seguir torcendo pelo Brasil.

Usha Pitts e André Campos - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Usha Pitts e André Campos – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Depois de Usha, foi a vez do ministro conselheiro da Embaixada dos Estados Unidos Todd Chapman assumir o discurso. “Ela chegou aqui no Brasil quase na mesma época em que eu cheguei. Ela gostou tanto do Nordeste que já vejo que ela fala português com sotaque nordestino”, e ela fez sinal de positivo. Em seguida, ele puxou o típico brinde em homenagem ao dia e à própria Usha.

Richard Reiter, Told Chapman,Isnard Penha Brasil e Usha Pitts - Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Richard Reiter, Told Chapman,Isnard Penha Brasil e Usha Pitts – Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

O sucessor da americana, Richard, assumiu a palavra depois do brinde. “Eu estava aqui há 20 anos e, na época, eu estava no meu primeiro posto diplomático. Aprendi bastante, fiz muitos amigos e me apaixonei por uma mulher nordestina”, disse. E fez um pedido: “Por favor, me considerem seu parente americano”.

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

Crédito: Nando Chiappetta/DP/D.A Press

A Usina Dois Irmãos ganhou decoração de Mercês Santiago, e, no menu, assinado pelo Outback, comidas americanas que caíram no gosto dos brasileiros, muitas carnes e batata frita. Na parte externa do local, uma pequena exposição sobre atletas do Brasil que prosperaram nos Estados Unidos.

 

Author: Gabriella Autran

Share This Post On