Coolsculpting: máquina que promete diminuir gordura localizada chega ao Recife

Crédito: Fracebook Coolsculpting Brasil / Divulgação

Crédito: Fracebook Coolsculpting Brasil / Divulgação

Atire a primeira pedra quem nunca se olhou no espelho e encontrou uma gordurinha indesejada aqui, outra acolá e pensou numa forma bem rápida de fazê-la sumir dali? Seja homem ou mulher, os pneuzinhos e barriguinha incomodam sim. E muito! A boa notícia é que o Recife recebeu a primeira máquina Coolsculpting da cidade. O equipamento, desenvolvido pela Universidade de Harvard, promete congelar a gordura em áreas específicas do corpo, chegando a reduzir entre 20% e 25% delas. Tudo isso sem cirurgia, anestesia, agulhas e hospital. “Como não é um procedimento invasivo, a pessoa pode continuar sua academia, pegar o filho no colo e manter as suas atividades normalmente”, explica a médica dermatologista Gleyce Fortaleza, sócia da clínica Pele, em Boa Viagem, que oferece o tratamento com o aparelho.

Crédito: Facebook Coolsculpting Brasil / Divulgação

Crédito: Facebook Coolsculpting Brasil / Divulgação

Ela explica que o coolsculpting tem resultados excelentes para a pessoa que está em dia com a balança, mas que tem a indesejada gordurinha localizada. Por não precisar sequer usar cinta modeladora após o procedimento, é também muito procurado pelo público masculino. Os pacientes que se interessarem em fazer o procedimento, devem fazer uma avaliação com a médica e definir qual (is) o (s) local (is) que vai aplicar o tratamento.

Gleyce Fortaleza explica que o tratamento com o Coolsculpting não é invasivo e resultado tem sido excelente entre os seus pacientes. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

Gleyce Fortaleza explica que o tratamento com o Coolsculpting não é invasivo e o resultado tem sido excelente entre os seus pacientes. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

Funciona da seguinte forma: a médica coloca uma ponteira na área escolhida pelo paciente. O aparelho irá puxar e apertar a gordura localizada entre dois painéis de resfriamento. A sensação que se tem é de um “puxão” e a frieza no local. “Antes de aplicar a ponteira, colocamos um polímero de gel para proteger a pele”, explicou a médica, garantindo que não há riscos de queimadura. Em uma hora, o procedimento está concluído em uma das áreas escolhidas.

No local onde foi aplicado, aparecerá uma área mais inchada que a médica chama de “picolé”. Com massagens feitas na hora, o tecido vai voltando ao normal. Em casa, o paciente poderá perceber a região vermelha, com pequenos hematomas e formigamento, que pode durar em torno de 10 dias. Segundo Gleyce, é possível conferir o resultado entre dois e quatro meses. Nesse período, a gordura vai sendo metabolizada pelo fígado e eliminada pelo intestino.

Os homens também aderiram ao Coolsculpting. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

Os homens também aderiram ao Coolsculpting. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

O Coolsculpting é recomendado para homens e mulheres, de preferência a partir dos 18 anos de idade. As únicas contraindicações são para gestantes, lactantes, pacientes com crioglobulinemia (doença vascular rara) e com hérnias umbilicais grandes. O método já existe há mais de 10 anos nos Estados Unidos e é aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA), órgão norte-americano que controla os alimentos e medicamentos através de diversos testes e pesquisas. “O resultado tem sido muito bom e os pacientes acabam voltando para fazer em outra região”, conta Gleyce, que fez vários cursos em São Paulo para manusear o equipamento. O tratamento de Coolsculpting custa a partir de R$ 2 mil, variando de acordo com a quantidade de áreas selecionadas para tratar e a quantidade de ponteiras que serão utilizadas.

Veja vídeo de demonstração da técnica com a médica Gleyce Fortaleza:

Saiba mais clicando aqui.

Clínica Pele – Formada há pouco mais de 10 anos, Gleyce Fortaleza é  sócia da Pele no Recife. É filial da clínica de mesmo nome que funciona há mais de 10 anos em Maceió. Por aqui, ela tem como associadas as dermatologistas Claudia Rego Barros e Lígia Guedes de Moraes, todas com título na Sociedade Brasileira de Dermatologia. A Pele abriu as portas no começo de outubro, em esquema soft opening, no Empresarial Janete Costa, em frente ao Shopping Recife. “A nossa proposta é reunir em um só espaço equipamentos de ponta para os mais diversos tratamentos estéticos e com preço bom”, falou Gleyce.

Gleyce Fortaleza. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

Gleyce Fortaleza com Claudia Rego Barros,uma das dermatologistas associadas da Clínica Pele no Recife. Crédito: Juliane Kehrle / Divulgação

Além do coolsculpting, a clínica oferece tratamentos com um laser chamado Spectra, que tira manchas, tatuagens, olheiras, melhora a acne, entre outras coisas. Faz limpeza de pele, peeling, botox, depilação a laser, mantus (ultrassom que ajuda a melhorar as células de gordura) e outros tratamentos. Além delas, três fisioterapeutas trabalham no local. A clínica só funciona ao público com a presença de uma das médicas.

Author: Tatiana Sotero

Share This Post On