Germana Carvalheira: “Ser mãe de adultos é visualizar tudo que se sonhou para os filhos”

“Depois que se tem um filho nunca mais se tem sossego! Uma mãe sempre vai se preocupar, independente da idade que eles tenham. Os filhos crescem e as coisas mudam bastante, da mesma forma que as preocupações se tornam outras”. É assim que Germana Carvalheira define esta fase da vida com os filhos. Ela é mãe de quatro “meninos”, como costuma chamá-los. Cristiano, de 34 anos, Victor, de 28, Renato, de 24 e Henrique, de 15 anos são os xodós da supermãe que, durante toda a conversa, elogiou sem parar suas crias.

Germana com seus filhos mais velhos, Cristiano e Victor.  Créditos: Acervo Pessoal

Germana com os filhos mais velhos: Cristiano e Victor.
Créditos: Acervo Pessoal

Para Germana, ser mãe de um adulto é pensar e passar o significado de unidade familiar para eles. “Nesta fase, é importante passar a importância de se criar pilares sólidos para agregar novas pessoas ao ciclo familiar. A gente cria os filhos para o mundo, mas sempre quer eles por perto, por isso é importante ter bons relacionamentos com as pessoas escolhidas por eles para constituírem família.  Graças a Deus, eu me dou muito bem com as minhas noras, adoro as duas, elas foram muito bem  escolhidas pelos meus filhos”, afirma.

Para Germana o mais importante de ser mãe de adulto é falar sobre família com os filhos. É ensinar a eles o que precisa para se formar uma família. Essa foto foi tirada no dia em que Victor iniciou sua família com Eduarda Dubeux. Créditos: Acervo Pessoal

Para Germana o mais importante de ser mãe de adulto é falar sobre família com os filhos. É ensinar a eles o que precisa para se formar uma família. Essa foto foi tirada no dia em que Victor iniciou sua família com Eduarda Dubeux.
Créditos: Acervo Pessoal

A realização de toda mãe é ver seus filhos crescendo e realizando seus sonhos. É assim com a matriarca dos Carvalheira. “Fico muito feliz de ver que todo o investimento neles valeu a pena, de ver que tudo que pensei e planejei para eles se concretizou”, diz. “Apesar de cada um estar em uma fase, vivendo algo diferente, eu fico assistindo a eles crescerem e ganharem o mundo: cada um de uma vez e no seu momento. É muito bom isso. Supergratificante”, completa.

Germana junto com os dois filhos mais novos, Renato e Henrique.  Créditos: Acervo Pessoal

Germana junto com os dois filhos mais novos: Renato e Henrique.
Créditos: Acervo Pessoal

Segundo Germana, ser mãe de meninos tem lá suas vantagens. Os filhos são seus maiores companheiros e se preocupam bastante com o bem estar dela. Faz até falta quando crescem e seguem seus caminhos. “Meus dois filhos mais velhos já estão casados, mas eles moraram em casa até o dia do casamento. Agora que não estão mais lá, dá uma saudade enorme, mas é bom ver que eles se tornaram grandes homens e estão vivendo suas vidas e constituindo uma família”, conta.

Uma das maiores felicidades de Germana é reunir toda a família. Nesta foto estão filhos, noras, marido e netos.  Crédito: Acervo Pessoal

Uma das maiores felicidades de Germana é reunir toda a família. Nesta foto estão filhos, noras, marido e netos.
Crédito: Acervo Pessoal

Neste domingo, na casa de Germana, será dia de juntar os membros da família que estão na cidade e aproveitar o dia juntos. “Os meninos vão almoçar comigo. Só quem não vem é o Cristiano, já que mora em São Paulo, mas ele veio semana passada e deu pra matar um pouco a saudade. O Dia das Mães é um dia que a gente aproveita para juntar toda a família, se confraternizar e dividir o amor, independente da idade dos filhos. É o momento onde todos estão juntinhos e se aproveitando ao máximo”, diz.

 

Author: Taís Machado

Share This Post On