A força do RedBull

Red Bull/Divulgação

Red Bull/Divulgação

 

Fora do mundo digital, em 1987, seria criado um produto que daria origem a uma marca sui generis, cujo valor é superior ao próprio produto que entrega. É a austríaca RedBull, que chega a 140 países com vendas de mais de três bilhões das icônicas latas dos touros vermelhos. O caso da RedBull é sui generis porque a marca extrapolou o produto e tornou-se, ela mesma, uma mídia. O marketing da RedBull é agressivo: a empresa investe 35% do faturamento nessa área. “O poder da publicidade é muito mais forte do que as promoções de longo prazo”, afirmou certa vez o fundador da marca, Dietrich Mateschitz. Baseada nesse princípio, a RedBull construiu uma imagem associada a esportes. Participa de uma série de eventos de esportes radicais, além de manter duas equipes na Fórmula 1 e ter diversas iniciativas em várias modalidades de outras atividades esportivas. “O marketing é a nossa principal matéria-­prima, sem esquecer o produto, que é a pré-condição”, disse, também, Mateschitz.

 

Author: João Alberto

Share This Post On