Uma entrevista com João Alberto

João Alberto está intimamente ligado ao jornalismo pernambucano. Há mais de 45 anos, sua coluna estampa as páginas do Diario de Pernambuco, que completou 190 anos de história em 2015. Ele passou por todos os veículos de comunicação: do rádio a televisão, do impresso a internet. Hoje, é dono de perfis nas redes sociais que acumulam, juntos, mais de 75 mil seguidores. Por tudo isso, é uma referência para os antigos e novos profissionais da área. Neste bate-papo, João – que é um profundo conhecedor e observador full time da nossa sociedade – fala sobre os fatos marcantes do ano, pessoas de destaque no estado e sobre o futuro do jornalismo. Confira !

Crédito: Blenda Souto Maior / DP / D.A Press

Crédito: Blenda Souto Maior / DP / D.A Press

Como avalia o ano de 2015 nos aspectos político e econômico?
Muito ruim. Com certeza o pior em décadas. Não me recordo de um ano com tantos escândalos, tanta roubalheira, tantos problemas de desemprego. Sem falar na volta da inflação e no baixo crescimento do país.

Na sua opinião, qual foi o grande acontecimento social deste ano?
O maior acontecimento foi sem dúvida a inauguração da Jeep em Goiana. Pernambuco sempre sonhou com uma fábrica de automóveis e ela veio numa época muito importante para movimentar a economia do nosso estado.

A sua coluna, mesmo com mais de 45 anos, continua sendo referência para o jornalismo pernambucano. Qual o segredo?
Com certeza muito trabalho e permanente observação do que está acontecendo na imprensa nacional, com a leitura de jornais, revistas e acompanhamento do noticiário televisivo.

O que as redes sociais atrapalhou e ajudou neste processo de divulgação das notícias no impresso?
Claro que ajuda muito no trabalho do impresso, mas tirou muito do charme do “furo jornalístico”. Hoje é difícil guardar para o impresso uma boa notícia, está tudo nas redes sociais.

Créditos: Arquivo/Diario de Pernambuco

Créditos: Arquivo/Diario de Pernambuco

Qual a principal dificuldade que você encontra neste trabalho?
Em toda minha carreira, tive a filosofia de encarar dificuldades como desafios a serem vencidos, descobrir os métodos para isso. É o que sempre faço.

O que lhe dá mais prazer na sua profissão?
A possibilidade de ter a voz muito alta, levar nossa opinião para milhares de pessoas. Por outro lado, a possibilidade de estar sempre viajando pelo mundo.

Quem é colunável hoje em dia ?
Com certeza não é, como no passado, quem tinha brilho nos eventos sociais, seja como elegante, seja como anfitrião. Hoje são aquelas pessoas que se destacam no trabalho, em ações sociais.

Você pode citar duas pessoas que você admira na sociedade pernambucana?
Ricardo Brennand e o arcebispo Fernando Saburido. Ricardo é um empresário vitorioso que deu de presente ao estado o Instituto Ricardo Brennand, eleito o melhor do Brasil. Não só entregou um espaço com um acervo maravilhoso, como continua sempre comprando novas peças. O espaço tornou-se um orgulho de Pernambuco e ponto de visita obrigatória para todo turista. Já Dom Fernando Saburido é uma figura especial: muito simples, filho de camponeses, tem uma maravilhosa vida religiosa. Está sempre pronto a ajudar, presente em todas as paóquias. E, numa demonstração da pessoa especial que é, está sempre realizando missões em presídios, hospitais, casas de recuperação de drogados, inclusive está fazendo campanha para abrir uma delas em Jaboatão dos Guararapes.

Créditos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Créditos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Que notícia que você gostaria de dar na sua coluna?
Que fosse encontrada uma cura não só para o câncer, mas para conseguir tirar o ódio do coração de algumas pessoas.

Este ano, o Diario, empresa onde você trabalha há mais de 47 anos, completou 190 anos. Como você avalia esta trajetória e como a sua relação com o jornal?
O jornal é uma referência na imprensa mundial e é um orgulho enorme estar há tanto tampo na sua redação. Em mais de quatro décadas, a coluna João Alberto nunca deixou de ser veiculada no impresso.

Como você vê o futuro do jornalismo?
Evidente que o jornalismo na internet tem tudo para crescer, mas acredito que a versão impressa ainda vai durar muitos anos, algumas gerações. Ainda é grande o número de pessoas, especialmente as de mais idade, que não abrem mão de ler os jornais e as revistas impressas.

João acompanhado das suas "albertetes" que fazem o Blog e a Coluna João Alberto Créditos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

João acompanhado da sua equipe 
Créditos: Paulo Paiva/DP/D.A Press

Author: Tatiana Sotero

Share This Post On