João Marinho assumirá nova marca de vitaminas e suplementos no Brasil

Crédito: Bruna Monteiro DP/

A partir do próximo ano, João Marinho vai comandar uma nova marca de suplementos e vitaminas no Brasil – Crédito: Bruna Monteiro/ DP

João Marinho é um empresário recifense de 51 anos que tem muita história para contar: viajou bastante, morou na Inglaterra, foi campeão de vela e de tênis, tem dois filhos, comanda a maior distribuidora de suplementos do Brasil e uma organização social, e ainda estreou no ramo das pousadas – esta última só por hobby. Esportista desde sempre e com uma mentalidade visionária, João coleciona conquistas.

João Marinho - Crédito: Reprodução / Instagram

João Marinho – Crédito: Reprodução / Instagram

“Deve ser muito ruim trabalhar com o que faz mal para a saúde”, fala o empresário. À frente da marca Sundown, do grupo americano NBTY (maior grupo de suplementação do mundo, contando com 12 fábricas, 19 marcas e atendendo 200 países), o empresário tem uma trajetória de sucesso há mais de 25 anos no ramo.

João Marinho com os filhos Nilson e Maria - Crédito: Reprodução do Instagram

João Marinho com os filhos Nilson e Maria Paula, que atuam na Sundown Vitaminas – Crédito: Reprodução do Instagram

Seus dois filhos, Nilson Lundgren e Maria Paula Marinho, de 25 e 22 anos, respectivamente, também estão seguindo os passos do pai. Nilson cuida da empresa em São Paulo – um dos maiores mercados de clientes da Sundown, juntamente com o Rio de Janeiro, e Maria Paula assume a função na capital pernambucana. “Eles são meu braço direito e esquerdo”, brinca o empresário.

Danielle Morais e João Marinho - Crédito: Reprodução / Instagram

João Marinho oficializou a união estável com Dani Morais, recentemente, em jantar para a família – Crédito: Reprodução / Instagram

Atualmente, está em um relacionamento estável com Dani Morais, com quem oficializou a relação em um jantar intimista para a família do casal. Aventureiro, amante de viagens e cuidadoso com a saúde, ele ainda confessa uma vontade que tem há muito tempo: “Sempre quis terminar minha vida cuidando de uma pousada charmosa”.

Personalidade que coleciona amigos na sociedade pernambucana, João Marinho concedeu uma entrevista exclusiva ao Blog João Alberto e contou tudo sobre saúde, a empresa Sundown, seus projetos futuros e a Fundação Maria Helena Marinho. Confira na íntegra:

Como surgiu a ideia de trabalhar com suplementos nutricionais?
Quando Fernando Collor abriu as importações em 1991, eu já tinha morado fora e percebia que tinha uma tendência interessante: a de começar a se cuidar. Eu sempre fiz esportes e fiquei com isso na cabeça. Não tínhamos nada de importado nessa área no Brasil. Fomos os pioneiros de vitaminas importadas no país.

Como é a sua relação com a saúde? Os negócios influenciam?
Melhorou muito porque eu comecei a entender mais. Durante toda a minha vida, sempre fui esportista, desde o colégio. Se você quer ser um atleta, você tem que se cuidar. Eu cheguei a ser campeão de vela e de tênis também, quando jovem. Não gosto de fazer uma coisa mais ou menos, eu sabia que tinha que me alimentar melhor e  já tinha noção de que atletas de ponta usavam suplementação vitamínica. Antes, eu só comprava quando viajava e outras pessoas tomavam também, até que surgiu a oportunidade. Tem vitamina para todo tipo de coisa. A relação foi lógica. Me sinto muito bem para minha idade, continuo praticando esportes. Eu vejo que os produtos têm resultado.

Qual o carro-chefe da Sundown?
Carro-chefe no Brasil definitivamente é a vitamina C. Colado nela há o multivitamínico, que é uma fórmula tradicional. Em uma única cápsula, a pessoa toma uma coisa geral. E por fim, tem o Fish Oil (em português, óleo de peixe), Ômega 3. Estamos sempre lançando novos produtos, mas a Anvisa é bem complicada, demora muito para liberar o visto. Se não existisse tanta burocracia, seria melhor. Demora algo em torno de dois e três anos. Por exemplo, tentamos lançar a Melatonina aqui no Brasil, que é uma substância que induz ao sono. Recebo frequentemente pedidos, mas o nosso país é o único no mundo que não libera a sua venda.

Crédito: Reprodução do Instagram

Além de comandar a Sundown Vitaminas, João Marinho estreou no ramo de pousadas e vai armar um soft open, em setembro, da Pedras do Patacho, em Alagoas – Crédito: Reprodução do Instagram

Qual a importância de fornecer os seus produtos em um país como o Brasil? Onde podem ser encontradas as vitaminas?
 Eu importo e vendo produtos que são muito benéficos para a saúde. Ouvir as pessoas dizendo que deu resultado, ‘eu fiquei bom’ , ‘estou com disposição’, ajudamos na melhoria da qualidade de vida. É bem satisfatório. Eu forneço para o Brasil inteiro, principalmente para grandes redes, como Pague Menos, Drogasil, Drogaria São Paulo, muitas farmácias do Sul… No Brasil, de 70 mil farmácias, 10 mil são as grandes redes e atendemos basicamente elas. Essas 10 mil são 80% do negócio.

Como você analisaria a trajetória do seu negócio?
A gente tem uma história que me dá muito orgulho. Completamos 25 anos ano passado, não é fácil fazer isso no Brasil. Foi meu primeiro negócio, eu trabalhava com meu pai, resolvi montar sozinho. É o negócio que eu estou envolvido todos os dias. É uma trajetória muito positiva. Fico muito feliz em olhar para trás e ver o crescimento.

Hoje, como o negócio está estruturado?
Hoje, nós somos a maior importadora de vitaminas do Brasil, com muito orgulho. Temos como base as grandes redes, como clientes e supermercados também, mas em supermercados só podemos vender complemento alimentar. Em tempo, temos uma concentração de venda muito forte na região Sul e Sudeste. Rio de Janeiro e São Paulo concentram 70% das minhas vendas.

João Marinho - Credito Nando Chiappetta DP

Credito Nando Chiappetta DP

A sua família também se envolve com os negócios?
Meus filhos Nilson e Maria Paula trabalham comigo. Nilson fica em São Paulo, vive indo e vindo de lá para cá. Já Maria Paula trabalha no Recife. Eles são praticamente meu braço direito e esquerdo.

Como é o trabalho social feito na Fundação Maria Helena Marinho?
É uma coisa que me dá muito orgulho, algo que fazemos há 15 anos. Nós trabalhamos com cerca de 300 crianças de rua. Antes, eu estava indo toda sexta-feira mas, hoje, eu tenho uma gestora. A Fundação é uma das sedes da Pró-Criança e a gente vai reinaugurar a sede dos Coelhos. Há quatro anos, queimou metade da sede onde fica a maior parte das crianças. Estamos para inaugurar neste mês, depois de fazermos vários leilões e eventos para angariar. Nós temos dezenas de casos de sucesso, que saíram realizados com alguma profissão. É um trabalho muito bonito lá.

Quais os seus próximos projetos?
A partir do próximo ano, vou comandar uma nova marca aqui no Brasil. O NBTY é o maior grupo de suplementos do mundo – tem 19 marcas, sendo a Sundown uma delas. A marca de mais sucesso nos Estados Unidos é a The Nature’s Bounty, que é a que eu vou chefiar por aqui, além da Sundown. A NBTY conta 12 fábricas, atendendo 200 países.

Você também estreou no ramo de pousadas. Qual é seu novo investimento?
Sempre quis terminar minha vida cuidando de uma pousada charmosa. Entrei como sócio investidor com mais dois parceiros para abrir a Pedras do Patacho, em Alagoas. Pretendemos realizar um soft-open da pousada a partir de setembro. Até então, temos sete bangalôs já prontos , todos com piscina privada. O objetivo é construir 15 bangalôs no total. Ainda vamos abrir um restaurante sob o comando do chef Biba Fernandes, que será da pousada, mas aberto ao público.

Author: Júlia Molinari

Share This Post On