Um dilema para o ministro da Saúde

Marcelo Queiroga

O protocolo para tratamento farmacológico do coronavírus na internação que foi encomendado pelo ministro Marcelo Queiroga (Saúde) a um núcleo técnico-científico criado por ele assim que assumiu o cargo contraindicará o uso em ambiente hospitalar de remédios como cloroquina, hidroxicloroquina, ivermectina, redemsivir e outros sem eficácia comprovada para a Covid-19, alguns deles com relatos de efeitos adversos.O documento não tratará da utilização deles fora do ambiente hospitalar, já que o escopo do grupo técnico é o tratamento da Covid-19 desde a chegada no hospital até o pós-Covid. O protocolo, elaborado por grupo encabeçado pelo médico e professor da USP Carlos Roberto de Carvalho, indicará o uso de anticoagulantes e corticoides no tratamento da Covid-19.

Queiroga, que tem falado com parlamentares sobre esse protocolo, deverá receber o material ainda nesta semana, e caberá a ele decidir de que maneira e quando ele será incorporado e distribuído pela rede nacional de saúde. Terá que desagradar seu chefe, Jair Bolsonaro, Os protocolos têm como objetivo fornecer diretrizes uniformes para o tratamento da Covid-19, potencializando as chances de cura. A elaboração dos protocolos tem sido feita a partir de colaboração com sociedades médicas, agregando orientações já sugeridas por elas.

Author: João Alberto

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.