Após fala de Bolsonaro, Luciano Huck se pronuncia sobre liberação de máscaras: ”O negacionismo engolindo a ciência”

Foto: Reprodução/Internet

O último discurso de Jair Bolsonaro, sobre a possibilidade de desobrigação do uso de máscaras em meio à pandemia gerou repercussão nas redes sociais, visto que o Brasil não está nem na metade do processo de vacinação e foi duramente atingido pela Covid-19, com um número de mortes que ultrapassa 475 mil. O segundo pior saldo global em números absolutos. “Acabei de conversar com um tal de Queiroga — não sei se vocês sabem quem é —, nosso ministro da Saúde. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados. Para tirar esse símbolo, que obviamente tem a sua utilidade para quem está infectado“, declarou o presidente.

Se juntando aos milhares que apontaram a problemática na fala, Luciano Huck se manifestou nas redes sociais e classificou a atitude de Bolsonaro como ‘sadismo’. A palavra remete à satisfação com a dor alheia. O apresentador ainda mencionou sobre o descaso com a ciência, negacionismo e a falta de empatia com as pessoas que perderam entes próximos para a Covid. Para Huck, o possível retorno da vida sem máscaras é um assunto que só pode ser discutido ”quando mais de 70% da população estiver vacinada”.

Autorizar a liberação do uso obrigatório de máscaras em locais públicos é sadismo. O negacionismo engolindo a ciência. A empatia passando longe das famílias que perderam alguém amado para a Covid-19. Só podemos discutir esse assunto quando mais de 70% da população estiver vacinada“, destacou Luciano.

Author: Lara Calábria

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.