Conheça Baccic, pernambucao que marca presença em musicais ao redor do país

Créditos fotos: Patricia Canola

Nascido em Garanhuns, interior de Pernambuco, Cleto Baccic (51) é visto por muitos como uma referência no meio artístico do teatro musical. Conhecido por protagonizar grandes produções da Broadway no Brasil, venceu prêmios como o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e a Medalha Arthur de Azevedo por alguns de seus trabalhos. Baccic já atuou em peças conceituadas ao redor do país, a exemplo de Man of La Mancha, Mamma Mia!, Cats e, atualmente, está em cartaz interpretando Willy Wonka, no musical Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate. 

Além de ator, também exerce a profissão de produtor musical com maestria. Nessa área, é um dos sócios e fundadores do Atelier de Cultura em São Paulo e também idealizou o Projeto Educacional do Sesi-SP. “Tudo começou pelo meu interesse em inclusão social”, conta ao Blog João Alberto. 

>> Confira a entrevista na íntegra

  • Sabemos que o meio artístico, infelizmente, ainda é pouco explorado no Brasil, principalmente em algumas regiões, sendo o Nordeste uma delas. Tendo nascido no interior de Pernambuco, como surgiu seu interesse em atuar na área?

Meu primeiro contato com o teatro foi na escola primária em Garanhuns. Um dia a professora entrou na sala e perguntou quem gostaria de participar de uma peça em homenagem ao Dia das Mães. Eu saltei da cadeira! Lembro como se fosse hoje o exato momento que entrei em cena, olhei para aquela plateia repleta de mães, pais, professoras, alunos e, por uma fração de segundo, me perguntei o que eu estava fazendo ali. Esqueci todas as falas, sendo que eu estava sozinho no meio do palco improvisado e deveria começar a peça. Senti um frio terrivelmente delicioso no estômago e lembrei que a minha mãe, por motivos alheios à vontade dela, não estava na plateia. De repente me bateu uma coragem tremenda e era como se eu estivesse brincando de teatrinho no quintal de casa. Em meio a todas essas sensações e sentimentos eu abri e boca e tudo começou a fazer sentido! Por mais clichê que pareça, eu entendi que aquele lugar era onde eu queria estar “pra sempre”.

  • Quais maiores dificuldades você já enfrentou como artista?

Como em qualquer carreira são muitas as dificuldades, mas acho que a incerteza se a gente vai poder pagar os “boletos” no final do mês é uma constante. E a cada nova oportunidade de trabalho somos testados e a concorrência é grande.

  • Já teve algum papel especialmente desafiador? Se sim, qual?

Vários! Meu primeiro musical original da Broadway com diretores estrangeiros foi o “Cats”. Sem dúvida alguma foi um dos maiores desafios que tive. Claro que não posso deixar de mencionar “O Homem de La Mancha”, onde interpretei Cervantes/Quixote. Foi uma experiência fascinante. E espero que a vida  me proporcione mais e mais desafios.

  • Dentro da carreira de ator, o que é mais gratificante para você? 

A troca com o público é sem dúvida um dos pontos mais gratificantes que posso citar. Quando, por meio do nosso ofício, a gente consegue, de algum modo, contribuir para a transformação de um indivíduo ou grupo, isso é extremamente gratificante.

  • O que você considera que foi um marco importante na sua trajetória?

Ter ganho o Prêmio APCA de melhor ator foi muito importante naquele momento. Especialmente por ter sido o primeiro ator premiado nesta categoria pela Associação Paulista de Críticos de Arte.

  • Você é um dos sócios e fundadores do Atelier de Cultura e também idealizou o Projeto Educacional do Sesi-SP em teatro musical. Algum motivo específico para investir também nessa área?

Sim, tudo começou pelo meu interesse em inclusão social. Criei um projeto para capacitação profissional e formação de plateia.  Ainda não havia nenhum curso técnico direcionado para teatro musical que fosse devidamente aprovado pelo Mec. Estava na hora de olhar para a nova geração que ansiava por conhecimento. Uma vez capacitado estes profissionais irão precisar de plateia! Então vamos a formação de público! E assim comecei o primeiro rascunho do que viria a se tornar o Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical.

Proporcionar a experiência de assistir a um musical para quem não tem condições de pagar por um ingresso ou mesmo não faz ideia que esse tipo de conteúdo cultural existe, é algo muito gratificante. Todos os dias tínhamos casa lotada e filas homéricas na porta do teatro! Hoje, ex-alunos do curso integram o mesmo elenco que eu no “Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate”, e também podem ser vistos em diversas produções.

*Matéria por: Julia Faeirstein

Author: Marcela Nunes

Compartilhe este post

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.