As coleções de Carlos Trevi

SELO_Colecionadores

Há 14 anos em Pernambuco, o paulista Carlos Trevi, hoje aos 51 anos, é um colecionador nato. Com três coleções em andamento, o diretor superintendente do Santander Cultural é apaixonado por arte popular e isso fica claro na sua casa, em Olinda, onde mora há oito anos.

Crédito:

Carlos Trevi com suas coleções. Crédito: Bruna Moteiro / DP / D.A Press

São Sebastião, ex-votos e canequinhas de prata são algumas das coleções espalhadas pela bela casa de Trevi. A paixão pela imagem do padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, São Sebastião, começou há muito tempo, tanto que ele não sabe nem precisar a data, o local e o primeiro. Trevi sempre ficou encantado com o modo como o santo é representado por artistas do Renascimento: é o único coberto apenas com um lenço, tal qual Jesus Cristo. São Sebastião aparece, na coleção dele, em esculturas e quadros. Na Umbanda, o orixá sincretizado com o santo é Oxossi, que também ganha espaço na casa do colecionador.

Crédito:

Estes são os dois preferidos de Trevi – Crédito: Bruna Monteiro / DP / D.A Press

São 170 imagens, das quais ele tem duas preferidas, que foram compradas em antiquários do Recife. A da esquerda foi adquirida no antiquário Lorena e tem um carinho todo especial de Trevi, “Eu gosto muito dela, parece um menino que acabou de sair da escola”, falou. A relação com a da direita é um pouco mais profunda. “Quando comprei, ela veio coberta por uma tinta amarela. Cuidadosamente, fui tirando e descobrindo o que tinha por baixo. É uma peça muito antiga e sou encantado por ela”, destacou.  Entre os quadros, o de que o colecionador mais gosta é o de Glauco Rodrigues, em que o santo aparece em sua forma na Umbanda, como Oxossi.

Oxossi por Glauco Rodrigues - Crédito: Bruna Monteiro DP/D.A Press

Oxossi por Glauco Rodrigues – Crédito: Bruna Monteiro DP/D.A Press

Segundo Trevi, não tem hora nem lugar para adquirir uma nova peça para a coleção. Ele costuma frequentar antiquários, feiras e, nesses lugares, acaba achando novas obras que lhe agradam. Ele tem muitas esculturas de artistas populares e obras que não sabe nem a autoria. Para cuidar da coleção, Trevi tem uma secretária e conta com a ajuda de uma pessoa que limpa tudo uma vez por semana. “É um trabalho bonito de se ver, ela tira tudo, coloca em um lençol e vai limpando um por um”, disse entusiasmado.

Crédito: Bruna Moteiro / DP / D.A Press

Crédito: Bruna Moteiro / DP / D.A Press

Outra coleção que ganha destaque na casa de Trevi é a de ex-votos. O ex-voto é um elemento típico da cultura popular e tem cunho fortemente religioso. É feito em agradecimento a algo que foi alcançado por um fiel. Pode ser confeccionado em vários materiais, da cera à madeira, e pode vir em diferentes formatos: de quadros a esculturas. Esse tipo de peça pode ser adquirida em antiquários e até em igrejas, que acabaram virando depósitos de ex-votos. Na coleção de Trevi, há de todos os tipos: desde membros do corpo em barro até igrejinha em madeira. No entanto, as cabeças, em vários materiais, são as mais numerosas.

Crédito:

Crédito: Bruna Monteiro / DP / D.A Press

Além de São Sebatião e ex-votos, Carlos Trevi também coleciona canequinhas de prata. São todas praticamente do mesmo tamanho, mas com roupagens bem diferentes. A coleção começou a ganhar forma quando ele achou uma canequinha que tinha pela casa e aí comprou outra, outra e depois outra. Assim foi  desenvolvendo outro belo e bem cuidado acervo. Os amigos começaram a presentear e, até agora, a coleção conta com mais de 20 peças. Das canequinhas, a preferida é a do Mickey, que, provavelmente, foi presente para uma criança.

Crédito:

Crédito: Bruna Monteiro / DP / D.A Press

Crédito:

Crédito: Bruna Monteiro / DP / D.A Press

 Confira outras imagens da coleção de Trevi, na galeria abaixo, feitas por Bruna Monteiro:

Leia outras postagens deste especial clicando aqui

Author: admin

Share This Post On