Marina Silva se une a Eduardo Campos

Eduardo e Marina Crédito: Aloísio Moreira e Juarez Rodrigues/ EM/ D.A Press

Eduardo e Marina Crédito: Aloísio Moreira e Juarez Rodrigues/ EM/ D.A Press

Agora é oficial. Marina Silva é a mais nova filiada do Partido Socialista Brasileiro, o PSB. O anúncio oficial acabou de acontecer, no Hotel Nacional, em Brasília. No discurso, ela não confirmou se é candida a vice-presidente de Eduardo Campos, mas confirmou seu apoio à candidatura do governador pernambucano.

De acordo com o coordenador-executivo da Rede, Bazileu Margarid, um dos tópicos que pesou a favor para a decisão da ex-senadora de migrar para o bloco socialista foi  “a aderência programática maior com o PSB”. Vale lembrar que em 2010, Marina concorreu à Presidência e ficou em terceiro lugar com 19,6 milhões de votos.

Leia alguns trechos do discurso de Marina:

“É uma filiação simbólica ao PSB, pois continuarei como porta-voz da Rede”

““Por que o PSB? Porque em muitas frentes de batalha nós estamos juntos historicamente, com as nossas diferenças, não as negamos. Mas porque também tem um governador que trabalhou para viabilizar a sua candidatura legítima a presidente da República. É um partido com bandeiras históricas. No dia da criação da Rede Sustentabilidade, recebemos uma carta de felicitação do PSB assinada pelo governador Eduardo Campos.”

“A Rede Sustentabilidade não está se fundindo com o PSB. A Rede não está dizendo que vai apoiar todos os candidatos do PSB nas eleições estaduais”

“Não nego nossas diferenças, mas nossos partidos têm pontos de contato que nos permitem estar aqui”

“Minha decisão foi de não ficar carimbada como aquela que foi abatida.”

“Somos o primeiro partido clandestino em plena democracia”

“Eduardo é um governador que trabalha por sua candidatura para a presidência da República de forma legítima, sem ser cassado, mas que tem sido minado

“Não estamos pensando apenas no poder pelo poder, sem se restringir às eleições. O Brasil precisa de uma agenda estratégica para pôr fim à lógica da política de curto prazo. É preciso sepultar de vez a Velha República”

“A derrota ou a vitória só se mede na História. A História não se resolve numa canetada”

“Os colegas da imprensa só me perguntavam do plano B e eu só queria falar do plano A. Ninguém me perguntou do plano C, que era Eduardo Campos. O Plano Campos é o Plano C”

“Nosso objetivo não é fazer oposição, mas é assumir posição”

“Fernando Henrique Cardoso e Lula estabilizaram a economia e permitiram a inclusão social, mas ainda precisamos caminhar muito. O compromisso dessa coligação é de manter as conquistas e ajudar a reparar os erros. Vamos aprofundar nossos programas”

“Qual era o esperado? Que Marina se resigne e vai ser a candidata da interne’. Todo mundo ia curtir e um bando de gente ia me cutucar. Mas isso não ia mudar absolutamente nada”

Author: admin

Share This Post On