Amor de pai em dobro

Mailton, Wilson e as crianças, Theo e Maria Thereza Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

Mailton, Wilson e as crianças, Teo e Maria Tereza
Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

Eles são um casal bem conhecido no Brasil inteiro. Não porque são famosos, artistas ou algo assim. Mailton e Wilson Alves de Albuquerque ficaram conhecidos por sua história de amor e as conquistas relacionadas aos seus filhos, Maria Tereza, 3 anos, e Teo, 1 ano, gerados por fertilização in vitro. Os pequenos conseguiram o direito de ter o nome dos dois pais nas certidões de nascimento e, após a chegada do mais novo, Mailton conquistou a licença paternidade de seis meses, caso, até então, inédito no país. O casal é um exemplo de que formar uma família é direito de todos e que os filhos vivem muito bem, sim, com pais do mesmo sexo em uma família “não tradicional”.

A família reunida quando o pequeno Théo chegou em casa Créditos: Arquivo pessoal

A família reunida quando o pequeno Théo chegou em casa
Créditos: Arquivo pessoal

Apesar de não seguir os padrões na formação, Mailton afirma que ele e os membros de sua família nunca foram hostilizados e que as pessoas conseguem sentir todo o amor existente entre eles. “Nós somos extremamente felizes com os nossos filhos e, graças a Deus, nunca sofremos por isso. As pessoas quando olham para a gente, quando olham pra dois meninos andando pra cima e pra baixo com os pais, enxergam uma família! Percebem que a nossa relação é formada de amor e isso que é o importante: dar e ser amor!”, disse.

Mailton, Wilson e as crianças, Theo e Maria Thereza Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

Mailton, Wilson e as crianças, Theo e Maria Thereza
Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

Os papais criam os meninos para que eles cresçam entendendo as diferenças entre as pessoas e entre as famílias. Para a dupla, esta é uma forma de fazer com que os meninos saibam respeitar a individualidade das pessoas e tratem todos com amor e educação. “Ensinamos aos dois que existem famílias compostas de mamãe e papai, mamãe e mamãe e Papai e papai, que é o caso deles. Nos planejamos muito para montar essa família e hoje ensinamos os nossos filhos a amar e respeitar todas as pessoas. Acho que é por isso que somos uma família plena e feliz”, conta Mailton.

Os papais com a pequena Maria Thereza Créditos: Arquivo pessoal

Os papais com a pequena Maria Tereza
Créditos: Arquivo pessoal

Uma família plena, feliz, cheia de amor e que logo mais ficará maior! O casal está se programando para iniciar mais um processo de fertilização, podendo vir a ganhar um bebê ou talvez gêmeos. Independente de quantos novos integrantes sejam, a família já está preparada e esperando a confirmação da novidade. “A gente sempre quis ter família grande e estamos partindo para mais um filho. Ano que vem, deve estar nascendo o nosso terceiro, que pode ser gêmeo ou não. O sonho da família grande sempre existiu e já que temos essa oportunidade, por que não tentar? A Maria Tereza está super animada e fica falando que vai vir uma irmã. Já escolheu até o nome! Se for menina, segundo ela, vai se chamar Helena”.

Família comemorando o segundo mês do Théo Créditos: Arquivo pessoal

Família comemorando o segundo mês do Théo
Créditos: Arquivo pessoal

E como é o dia dos pais em uma casa onde são dois papais? Como será que os meninos lidam com este dia? Mailton afirma que eles são ensinados que é um dia é especial, onde vão comemorar a vida das duas pessoas que os amam muito, mas também não deixam de explicar que é um dia “comercial”. “É um dia gostoso e, para os meninos, é bem divertido, já que eles precisam fazer dois presentinhos na escola. É um momento em que ensinamos a eles que estamos comemorando a vida e a existência dos pais que os amam incondicionalmente”, conclui.

Mailton, Wilson e as crianças, Theo e Maria Thereza Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

Mailton, Wilson e as crianças, Theo e Maria Thereza
Crédito: Taís Machado/DP/D.A Press

E a nossa conversa foi encerrada com um pensamento que precisa se perpetuar. Para Mailton, o Dia dos Pais é o melhor momento para se comemorar a existência de uma pessoa que ajuda a cuidar dos filhos, seja ela quem for. “Neste domingo é preciso ser comemorado o papel do cuidador! No dia dos pais, podem ter várias pessoas que representem estes dia: pode ser um avô, um tio, uma tia ou uma mãe. Precisamos comemorar é a presença, não só dos pais, mas das pessoas que estão ligadas aos filhos.”

Autor:: Taís Machado

Compartilhe este post sobre