Instituição do Recife é nomeada como centro universitário credenciado pelo MEC

Integrante da rede nacional Estácio de Sá, a Faculdade Estácio do Recife ganhou o status de centro universitário pelo Ministério da Educação (MEC). A instituição foi credenciada pelo secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, Henrique Sartori, em cerimônia sediada no campus Abdias de Carvalho na manhã desta quarta-feira (26).

Com isso, a Estácio se tornou o segundo centro universitário do Recife. Em Pernambuco, além dela, os únicos centros universtários são a Uninassau, credenciada em 2012, e o Centro Universitário dos Guararapes (UniFG), em Jaboatão dos Guararapes, que recebeu o status em dezembro de 2016.

Cerimônia de certificação da instituição - Crédito: Marlon Diego/Esp.DP

Cerimônia de certificação da instituição – Crédito: Marlon Diego/Esp.DP

“Na prática, a faculdade dá alguns passos para frente no sentido regulatório e normativo. Isso significa que a instituição ganha mais autonomia. Ela passa a ter autorização para criar novos cursos e abrir novas frentes de ensino, pesquisa e extensão”, explicou Sartori. A denominação é dada apenas para as instituições de ensino superior que abrangem uma ou mais áreas do conhecimento e que se caracterizam pela excelência do ensino oferecido. 

Elísio Alcântara Neto, o diretor regional Nordeste da Estácio, adiantou que a classificação como centro universitário possibilitará uma ampliação da atuação da instituição em Pernambuco e que outras unidades e novos cursos podem ser criados. “Agora, com a mudança para centro universitário, vamos fazer um estudo de mercado, verificar as demandas da população local e, caso haja indicação positiva, vamos abrir novos cursos”, disse. No Nordeste, apenas Pernambuco, Bahia e Ceará têm centros universitários da Estácio. No Rio de Janeiro, a instituição é classificada como universidade e, nos demais estados, têm faculdades. A Estácio atua no Recife desde 1998 e tem 12 mil estudantes espalhados por três campi (Abdias de Carvalho, San Martin e Boa Viagem), que oferecem 24 cursos presenciais.

Crédito: Marlon Diego/Esp.DP

Crédito: Marlon Diego/Esp.DP

A instituição agora pode criar, sem a aprovação prévia do MEC, novos cursos e ampliar o número de vagas já existentes, de acordo com “as demandas locais da sociedade”. Poderá também expandir as atividades de iniciação científica, extensão e ações comunitárias. Além disso, como centro universitário, pode emitir e registrar os diplomas dos estudantes, agilizando o processo de graduação.

Por ordem crescente de importância, as instituições de ensino superior são classificadas em faculdades, centros universitários e universidades. Para ter o status de universidade, as regras do Ministério da Educação (MEC) são mais rígidas. A instituição precisa, por exemplo, ter pelo menos dois programas de doutorado e quatro de mestrado. Em Pernambuco, além das públicas, apenas duas instituições privadas de ensino superior têm o status de universidade: a Católica de Pernambuco (Unicap) e a Salgado de Oliveira (Universo).

Author: Júlia Molinari

Share This Post On